Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas Pratos principais

Lombinho à moda caipira

Receita fornecida por Mercês Aparecida Barbosa, de Tiradentes: (32) 3355-1911


postado em 24/02/2017 09:10

(foto: Marcos Michelin)
(foto: Marcos Michelin)

Ingredientes:

- 1 peça de 1 kg de lombinho

- 200 ml de vinho branco seco

- Tempero caseiro, manjericão, alecrim e pimenta-do-reino a gosto

- 3 colheres (sopa) de óleo

Guloseima:

- Dê uma pausa no passeio para se deliciar com os chocolates e outras iguarias de uma das duas casas da Chocolateria Puro Cacau, ambas no Centro histórico de Tiradentes. Além dos variados chocolates vendidos por quilo, o visitante encontra cafés, lanches, licores e muito mais. Contato: (32) 3355-1600.

Modo de Preparo:

Com a ponta de uma faca fina e afiada, fazer furos no lombinho. Passar o tempero na carne e regar com o vinho. Pôr as ervas e levar à geladeira, coberto, por dois dias. Levar ao fogo com o caldo do tempero e com a panela tapada. À medida que for secando, pingar água e virar a carne, até que fique dourada e cozida por igual. Servir acompanhado de couve, arroz, ovo frito e mandioca.



Espera recompensada

(foto: Marcos Michelin)
(foto: Marcos Michelin)

A máxima de que a cozinha é a sala de visitas do mineiro é levada a sério no Restaurante da Mercês. Quando se entra na casa, poucos passos são necessários para se estar à beira do fogão a lenha e, de lá, ver todo o movimento do preparo da comida. Por uma fração de tempo dá até para esquecer de que se está em um restaurante. Basta puxar um dos banquinhos de madeira que ficam no canto e trocar um dedo de prosa com Mercês Aparecida Barbosa, a anfitriã e mestre em fazer grandes estrelas da culinária mineira: frango ao molho pardo, tutu, couve, lombinho e outras delícias.

Durante a conversa, descobre-se que o restaurante divide espaço com a própria casa da mineira, o que é revelado quando se olha por uma janelinha próxima ao banheiro e se depara com a cozinha da família. "Sempre morei aqui. A gente começou com um bar e transformamos em restaurante. Mudamos tudo, onde é o salão era a garagem. Só não tirei o fogão a lenha porque fiquei com dó", conta. Na casa, assim como na maioria dos estabelecimentos de Tiradentes, prevalece o ditado de que o apressado come cru.

A comida é sempre fresquinha, preparada na hora. Por isso, a dica para quem quer percorrer os restaurantes da cidade histórica é deixar a ansiedade em casa e aproveitar cada momento do saboroso circuito. Até mesmo a espera.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade