UAI
Publicidade

Estado de Minas PSDB

'Constrangedor', diz Aécio sobre métodos utilizados por Doria nas prévias

Declaração foi dada em entrevista ao CB.Poder desta quarta-feira, após o deputado federal defender uma reabertura da discussão para mudar a indicação de Doria


23/03/2022 16:45

O deputado Aécio Neves
O deputado Aécio Neves chamou o resultado das prévias que elegeu João Doria como candidato do PSDB para a Presidência de 'camisa de força' (foto: Minervino Júnior/CB/D.A.Press)

O deputado federal Aécio Neves (PSDB-MG) criticou a postura do governador de São Paulo, João Doria, durante as prévias do PSDB em novembro de 2021. De acordo com o parlamentar, foram "constrangedores os métodos utilizados por Doria para ganhar" a corrida que escolheria o candidato tucano à Presidência nas eleições de 2022. 



A declaração foi dada em entrevista ao programa CB.Poder desta quarta-feira (22/3), após ele defender uma reabertura da discussão para mudar a indicação de Doria. Questionado se não seria constrangedor voltar à estaca zero, já que Doria tem as equipes econômica e de marketing formadas, ele foi categórico a dizer que 'constrangedor' foi o comportamento do governador durante a corrida pelo posto.

"Eu acho que isso são coisas naturais da política. Constrangedor talvez tenham sido os métodos utilizados para ele (Doria) vencer as prévias, alterando votos de última hora, inclusive de parlamentares, com todo tipo de promessa", pontuou o político. 
O deputado também afirmou que foi um "erro" ter realizado as prévias em 2021 e disse que o pleito interno do PSDB só ocorreu por pressão de Doria. "Tivemos uma prévia partidária marcada de forma extremamente extemporânea ao meu ver para atender aos interesses do governador de São Paulo", disse.

"Naquele momento sim, foi um erro. Eu tinha uma proposta formal, como membro da Executiva Nacional, para que elas ocorressem agora em março. Porque mais próximo do ambiente eleitoral é claro que a realidade da política influencia nessas decisões. Mas houve o resultado das prévias e passaram-se quatro meses e nosso candidato de lá pra cá, ao invés de crescer, diminuiu a intenção de votos e aumentou a rejeição", declarou. 

O deputado, então, defendeu o nome de Eduardo Leite, governador do Rio Grande do Sul, como o ideal para concorrer ao cargo de chefe do Executivo, e chamou o resultado das prévias de 'camisa de força'. "A realidade é que não podemos ficar presos a essa camisa de força dessas prévias que foram ganhas, principalmente, pela força da máquina do governo de São Paulo. Nosso esforço é para que Eduardo Leite, candidato que ao meu ver mostra a renovação da política brasileira e do PSDB", pontuou. 

Aécio revela que o empenho dele é para que Leite deixe o posto de governador e seja avaliado pelo partido como candidato. "Ele tem um governo extremamente exitoso no Rio Grande do Sul e tem uma capacidade de alianças muito maior do que qualquer outro candidato hoje colocado na disputa federal. Nosso esforço é para que ele permaneça no PSDB, renuncie o governo do RS até 12 de abril e seja um nome a ser avaliado, a ser submetido a esse conjunto de forças do chamado centro democrático, que inclui o Cidadania, que estará federado conosco", pontua. 



receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade