UAI
Publicidade

Estado de Minas EMBATE

Kalil: prefeito afirma que ele e presidente da Câmara agora são 'inimigos'

Após Nely Aquino devolver projeto sobre redução das passagens, prefeito afirmou ser vítima de 'agressão' e lamentou prejuízo à população


03/03/2022 18:34 - atualizado 03/03/2022 18:41

O prefeito de BH, Alexandre Kalil, em entrevista coletiva
Alexandre Kalil concedeu entrevista nesta quinta (3) para protestar contra decisão da Câmara de BH (foto: Ramon Lisboa/EM/D.A Press)
O prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), subiu o tom contra a presidente da Câmara Municipal, Nely Aquino (Podemos). Segundo o chefe do poder Executivo, ele e a vereadora são, agora, "declaradamente inimigos". Nesta quinta-feira (3/3), a parlamentar devolveu, à prefeitura, o projeto de lei sobre as diretrizes para baixar, de R$ 4,50 para R$ 4,30, as tarifas dos ônibus comuns que circulam na cidade.

Em entrevista coletiva, Kalil afirmou que Nely tem o "delírio" de ser candidata a vice-governadora de Minas Gerais na chapa de Romeu Zema (Novo).

"Belo Horizonte é a única capital do Brasil que conseguiu, por ser uma prefeitura enxuta e robusta, baixar o preço da tarifa de ônibus para 2022. E, por questões políticas, por esse delírio de ser candidata a vice-governadora, [Nely] prejudica o que é de mais sagrado: a população que precisa", disse. "Acabou a festa dela e de seus asseclas", falou, instantes depois, em nova menção à parlamentar.

Kalil afirmou que o movimento da Câmara para recusar o projeto sobre a diminuição em R$ 0,20 do valor pago pelos usuários do transporte coletivo tem motivação política. Ele pediu "desculpas" ao povo belo-horizontino. "Não achei que a agressão a mim ia chegar a vocês".

As concessionárias dos coletivos desejam subir a passagem para R$ 5,75. A fim de evitar o aumento, a prefeitura propôs injetar R$ 156 milhões neste ano e, assim, arcar com 10% das gratuidades concedidas aos passageiros. O repasse público, além de evitar o aumento à casa dos R$ 5, geraria diminuição em R$ 0,20 no valor atual da tarifa.

'Voo de galinha'


Kalil apontou ausência de diálogo na postura da Câmara em relação ao projeto das passagens. Para ele, a devolução do texto antes mesmo do tema ser posto em pauta impede que o conjunto de vereadores possa debater o assunto. Ele protestou contra o modus operandi de Nely Aquino.

"O voo do poder é voo de galinha. Quem trata a população assim não vai chegar em lugar algum", falou.

"Caso o prefeito, assim como já fez anteriormente, cometa crimes contra a honra de membros da Câmara Municipal ou crimes de violência política, será acionado judicialmente por isso", rebateu a presidente da Câmara.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade