UAI
Publicidade

Estado de Minas ENTREVISTA

Bolsonaro diz que ''outra onda'' da COVID-19 ''está vindo''

O presidente defendeu também que não deveria ter carnaval no próximo ano, mas destacou que a decisão não cabe a ele


25/11/2021 16:07 - atualizado 25/11/2021 16:24

O presidente Jair Bolsonaro
O presidente Jair Bolsonaro afirmou que uma quarta onda de COVID-19 pode chegar ao Brasil (foto: Evaristo Sá/AFP)

O presidente Jair Bolsonaro afirmou, nesta quinta-feira (25/11), que uma quarta onda de COVID-19 pode chegar ao Brasil. A declaração ocorreu em entrevista à Rádio Sociedade da Bahia enquanto comentava sobre o avanço do vírus em países europeus.

"Outra onda, sim, está vindo. Não sei se outra cepa de vírus ou se acabou validade da vacina, e os problemas estão aí. É uma realidade que temos que enfrentar, não adianta se esconder nem culpar ninguém por essa tragédia que está acontecendo no mundo todo ".

O chefe do Executivo destacou que, caso os casos voltem a subir no país, manterá a posição contrária à adoção de medidas restritivas e lockdown.
"Estou vendo que alguns países da Europa, sim, estão retomando medidas de lockdown. Se tivermos outro lockdown em Estados e municípios pelo Brasil vão quebrar a economia de vez em nosso país. Essa é nossa preocupação", apontou.

Ele ainda repetiu questionamentos sobre a efetividade da vacina. "A vacina deve ter uma validade. Seis meses depois, os anticorpos estão mais baixos. Já quem tem a doença conta com muito mais imunidade."

Bolsonaro defendeu também que não deveria ter carnaval no próximo ano, mas destacou que a decisão não cabe a ele. O chefe do Executivo aproveitou para culpar governadores pelo surto da COVID-19 no país.

"Por mim não teria carnaval. Só que tem um detalhe: quem decide não sou eu. Segundo o Supremo Tribunal Federal (STF), quem decide são os governadores e prefeitos. Então, não quero me aprofundar nessa que, poderia ser, uma nova polêmica. Em fevereiro do ano passado, ainda estava engatinhando a questão da pandemia, pouco se sabia, praticamente não tinha óbito no Brasil, eu declarei emergência e os governadores e prefeitos ignoraram, fizeram carnaval no Brasil", alegou. 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade