UAI
Publicidade

Estado de Minas ELEIÇÕES

Chapa formada por Lula e Alckmin pode deslanchar em 2022

Alckmin, que ainda não decidiu seu futuro, continua filiado ao PSDB e condiciona uma definição às prévias do partido para a escolha do candidato, no domingo


18/11/2021 08:12

Luiz Inácio Lula da Silva e Geraldo Alckmin
Segundo fontes, a ideia da chapa nasceu de uma ala do PT de São Paulo, com ajuda do ex-governador Márcio França, do PSB (foto: Divulgação PT - AE)
A chapa Lula-Alckmin pode se tornar realidade nas eleições de 2022. Desde que foram anunciadas conversas sobre uma aliança entre o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin para disputar a Presidência da República, em 2022, o mundo político tem convivido com as especulações a respeito dos prós e contras na união entre dois ex-adversários declarados.

Segundo fontes, a ideia da chapa nasceu de uma ala do PT de São Paulo, com ajuda do ex-governador Márcio França, do PSB. Com Alckmin fora do páreo e vice de Lula, França teria o caminho livre para tentar o Palácio dos Bandeirantes.

Alckmin, que ainda não decidiu seu futuro político, continua filiado ao PSDB e condiciona uma definição às prévias do partido para a escolha do candidato tucano à Presidência da República, no próximo domingo. Segundo seus aliados, o objetivo do ex-governador, hoje, é ajudar a derrotar João Doria nas prévias - daí porque tem feito campanha nos bastidores para Eduardo Leite.

Mas enquanto as manobras eleitorais por aqui não se concretizam, Lula continua a fazer contatos na Europa na tentativa de resgatar a imagem do país no continente. Ontem, na França, ele disse que o Brasil precisa voltar ao cenário internacional após o "isolamento" provocado por Bolsonaro. Segundo o petista, o atual governo "fez o Brasil dar as costas ao mundo".

Isolamento nocivo

"O isolamento político e diplomático do Brasil é nocivo não somente para nosso país, mas também para a comunidade de nações", salientou Lula, durante conferência na universidade de Sciences Po, de Paris, antes de encontrar com o presidente Emmanuel Macron. Ele deve se encontrar, hoje, com o presidente espanhol Pedro Sánchez.

Na França, Lula almoçou com a prefeita da capital, Anne Hidalgo. A candidata socialista à presidência da França em 2022 recebeu com um abraço o "amigo" brasileiro, a quem concedeu o título de cidadão honorário de Paris, em 2020.

"Ele é um visionário, um homem do povo, uma inspiração e ele tem meu apoio", elogiou Hidalgo antes do encontro com Lula em um bistrô parisiense.

Já na Espanha, Lula participará do fórum "Cooperação multilateral e recuperação regional pós-covid-19" junto com o ex-presidente do governo espanhol José Luis Rodríguez Zapatero e o atual chanceler, José Manuel Albares, entre outros.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade