UAI
Publicidade

Estado de Minas CULPA

Randolfe: '600 mil mortos foram resultado de uma trágica gestão'

Segundo o senador e vice-presidente da CPI da COVID, o governo Bolsonaro esteve envolvido em todos os atos falhos na gestão da pandemia


19/10/2021 16:06 - atualizado 19/10/2021 16:28

Randolfe Rodrigues
Senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) (foto: Edilson Rodrigues/Agência Senado)
Após finalizar o último depoimento da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da COVID, nesta terça-feira (19/10), o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) pontuou os problemas da gestão do governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) durante a pandemia.
 
 
 
De acordo com o vice-presidente da CPI, as 600 mil mortes de brasileiros pela a COVID-19 foram resultado “de uma trágica gestão”. “O Governo Bolsonaro esteve envolvido em tudo: órgão de fiscalização que não fiscalizava; técnicos que não prestavam assessoria técnica; remédio que não funcionava e fiscal de contrato que não fiscalizava.

A sessão desta terça, que recebeu Elton Chaves, representante do Conselho Nacional de Secretários Municipais de Saúde junto à Conitec, foi o último depoimento da CPI. Amanhã, o relator, senador Renan Calheiros (MDB-AL) fará a leitura de seu parecer.
 
Segundo Calheiros, seu parecer vai indicar ao menos 11 crimes para o indiciamento do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).
 
 
São eles: a epidemia com resultado morte; infração de medidas sanitárias; emprego irregular de verba pública; incitação ao crime; falsificação de documento particular; charlatanismo; prevaricação; genocídio de indígenas; crimes contra a humanidade; crimes de responsabilidade; e homicídio por omissão.
 
“Significa, em outras palavras, que o presidente da República descumpriu seu dever legal de evitar a morte de milhares de brasileiros durante a pandemia", disse.
 
Também devem ser incluídos no relatório final os filhos do presidente, o senador Flávio Bolsonaro (Patriota-RJ), o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) e o vereador do Rio de Janeiro Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ) pelo crime de divulgação de fake news.

Além da família Bolsonaro, dois ministros titulares do governo serão responsabilizados no texto: Marcelo Queiroga (Saúde) e Onyx Lorenzoni (Trabalho).
 

O que é uma CPI?

As comissões parlamentares de inquérito (CPIs) são instrumentos usados por integrantes do Poder Legislativo (vereadores, deputados estaduais, deputados federais e senadores) para investigar fato determinado de grande relevância ligado à vida econômica, social ou legal do país, de um estado ou de um município. Embora tenham poderes de Justiça e uma série de prerrogativas, comitês do tipo não podem estabelecer condenações a pessoas.

Leia também:  Entenda como funciona uma CPI


O que a CPI da COVID investiga?


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade