UAI
Publicidade

Estado de Minas FUTEBOL

Líder de Zema pede passaporte da vacina em BH: 'Mantém Bolsonaro longe'

Gustavo Valadares, que encabeça articulações pró-governo na Assembleia de MG, criticou postura do presidente ante comprovante de imunização


11/10/2021 15:52 - atualizado 11/10/2021 16:10

Gustavo Valadares, deputado estadual do PSDB e líder de Zema na Assembleia
Gustavo Valadares, líder de Zema, criticou Bolsonaro (foto: Edésio Ferreira/EM/D.A Press)
O líder do governo de Romeu Zema (Novo) na Assembleia Legislativa, Gustavo Valadares (PSDB), sugeriu, nesta segunda-feira (11/10), a criação do passaporte da vacina para acesso a jogos de futebol em Belo Horizonte. O tucano defendeu a medida para baratear os custos da ida ao estádio e impedir que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) tente acompanhar partidas na capital mineira. Nesse domingo, o chefe do poder Executivo nacional não conseguiu assistir ao duelo entre Santos e Grêmio, na Vila Belmiro,  por não ter sido imunizado contra o coronavírus .

"Chegou a hora de acabar com a obrigatoriedade do exame de COVID pré-jogo em BH! Quem tiver as duas doses mostra o passaporte da vacina e entra. Pontos positivos da medida: incentiva a vacinação, torna a ida aos jogos mais barata e mantém o Bolsonaro longe! Bem longe!", disse Valadares, pelo Twitter.



Bolsonaro cumpre agendas no litoral paulista e, em Santos, afirmou ter tentado ver ao vivo o confronto entre Peixe e Tricolor. Ele, porém, não cumpriu requisito imposto aos torcedores pelo governador João Doria (PSDB): a apresentação do comprovante vacinal.

Em Belo Horizonte, torcedores precisam apresentar, além do ingresso, resultado negativo para a doença. São aceitos o exame RT-PCR e o teste de antígenos. Mesmo os cidadãos com esquema vacinal completo precisam se submeter a uma das verificações.

Dirigentes do Atlético tentam, junto à prefeitura de Belo Horizonte, permitir que torcedores contemplados com duas doses - ou com a injeção única da Janssen - possam ir aos jogos apenas atestando a vacinação. Além do Galo, Cruzeiro e América também já recebem público. Por ora, a capacidade é limitada a 30% da lotação máxima de Mineirão e Independência.

Ao criticar a obrigatoriedade do passaporte, Bolsonaro chegou a afirmar possuir mais anticorpos que pessoas imunizadas. "Por que cartão, passaporte, da vacina? Eu queria ver o jogo do Santos agora. Me falaram que tem que estar vacinado. Por que isso? "Eu tenho mais anticorpos do que quem tomou a vacina", falou ele.

Valadares, por sua vez, é figura constante nos jogos do Atlético. Seu pai, Ziza, chegou a presidir o clube.

Bastidores das relações 


Zema tem relação cordial com o presidente da República. No fim de setembro, Bolsonaro esteve em BH para oficializar o repasse de recursos à expansão do metrô municipal. Durante o evento, ocorrido na Cidade Administrativa, o governador recebeu um afago do chefe do governo federal.

"Como é bom ter um governador da estatura do Romeu Zema. A humildade do Zema é o sucesso de seu trabalho em Minas", elogiou Bolsonaro.

O governador tirou a máscara de proteção facial após pedidos da plateia que se aglomerou para tietar o presidente. Houve gritos de "BolsoZema".

Apesar da relativa proximidade entre ambos, Gustavo Valadares é  defensor da presença do governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), na disputa à presidência . Majoritariamente, os tucanos mineiros têm se posicionado ao lado do gaúcho, que disputa as prévias da legenda contra João Doria e Arthur Virgílio Neto, ex-prefeito de Manaus.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade