Publicidade

Estado de Minas GOVERNO FEDERAL

Bolsonaro sobre carta da CPI: ''Não vou responder a bandidos''

Em Porto Alegre, presidente atacou Omar Aziz, Renan Calheiros e Randolfe Rodrigues, que formam a cúpula da CPI da COVID no Senado


10/07/2021 11:25 - atualizado 10/07/2021 12:04

Bolsonaro participa neste sábado de uma motociata organizada por ele e apoiadores em Porto Alegre(foto: Reprodução/Facebook )
Bolsonaro participa neste sábado de uma motociata organizada por ele e apoiadores em Porto Alegre (foto: Reprodução/Facebook )
O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) reafirmou, neste sábado (10/7), que não responderá à carta dos senadores da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPIda COVID que pede explicações sobre a compra da vacina Covaxin. Na resposta, o governante chamou os parlamentares de “bandidos”.

"Não vou responder. Não tenho obrigação de responder. Ainda mais carta para bandidos, três bandidos", disse Bolsonaro, em entrevista à Rádio Gaúcha. A declaração foi dada nesta manhã, pouco antes de o presidente iniciar uma motociata pelas ruas de Porto Alegre, capital do Rio Grande do Sul.

Segundo a Gaúcha, os três citados por Bolsonaro são os senadores Omar Aziz (PSD-AM), Randolfe Rodrigues (Rede-AP) e Renan Calheiros (MDB-AL). Eles são, respectivamente, presidente, vice-presidente e relator da CPI da COVID, instalada pelo Senado.

A primeira fala de Bolsonaro a respeito da carta foi dada na última quinta-feira (8). “Hoje fizeram uma festa, entregaram um documento lá embaixo. Vou responder a pergunta à CPI. Sabe qual é a minha resposta? Caguei. Caguei para a CPI. Não vou responder nada. É uma CPI que não está preocupada com a verdade”, disse, durante uma transmissão ao vivo nas redes sociais.


Também nessa sexta, Omar Aziz repercutiu a “não resposta” de Bolsonaro à Carta: “Tá com medinho?”, disse, em entrevista à Rádio CBN.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade