Publicidade

Estado de Minas CPI DA COVID

O que Nise não respondeu à CPI: saiba a diferença entre vírus e protozoário

Em depoimento à CPI da COVID, a médica não conseguiu responder ao questionamento do senador Otto Alencar


01/06/2021 19:57 - atualizado 01/06/2021 20:35

Discussão sobre coronavírus gerou questionamento sobre a diferença entre vírus e protozoários, durante CPI da COVID(foto: Jefferson Rudy/Agência Senado)
Discussão sobre coronavírus gerou questionamento sobre a diferença entre vírus e protozoários, durante CPI da COVID (foto: Jefferson Rudy/Agência Senado)
Durante depoimento na CPI da COVID do Senado, na tarde desta terça-feira (1°/6), a médica oncologista Nise Yamaguchi foi questionada pelo senador Otto Alencar (PSD/BA) sobre assuntos relacionados ao coronavírus. Entre as perguntas, Alencar quis saber a diferença entre um protozoário e um vírus

 

 


Nise, então, respondeu que o primeiro tem um organismo celular e os vírus têm DNA ou RNA. Otto rebateu: “Não é isso. Não é isso, não. A senhora não soube nem explicar o que é um vírus”.



Segundo o biólogo e professor titular de Ecologia da UFMG, Geraldo Wilson Fernandes, vírus, bactérias, fungos e protozoários são microorganismos, popularmente conhecidos como micróbios. 

“São seres minúsculos, em geral, invisíveis a olho nu. Habitam em todas as partes do planeta e são muito importantes para a manutenção do equilíbrio da natureza.” 

O professor explica que vírus e protozoários têm estruturas muito diferentes

“Os vírus não são células e, sim, partículas infecciosas. A estrutura de um vírus é formada, basicamente, por proteínas e um ácido nucléico. Todos são parasitas intracelulares, quer dizer, precisam entrar em uma célula para sobreviver. E alguns causam doenças nos seres vivos, como por exemplo catapora, caxumba, dengue, zika, chikungunya, hepatite, herpes. E, agora, essa doença horrível, causada pelo coronavírus.”

Já os protozoários, o professor descreve como “animaizinhos primitivos''. 

“Abundantes na natureza, são encontrados em ambientes úmidos, mas alguns vivem dentro do corpo de outros seres vivos, inclusive dos humanos. Por isso, são conhecidos como parasitas. São seres de uma célula apenas, muito pequenos, mas alguns poucos podem ser vistos a olho nu.”

Esses seres podem causar doenças como a amebíase, doença de Chagas, leishmaniose e toxoplasmose. “Os protozoários têm uma estrutura extremamente mais complexa que os vírus. As amebas, por exemplo, se comportam como animais, se dirigem para a luz, em determinadas ocasiões. Já os vírus não tem uma organização celular que caracteriza um ser vivo clássico”, completa. 

O senador Otto Alencar, que também é médico infectologista, chegou a explicar a diferença entre os organismos.  

“Protozoários são organismos mono ou unicelulares e os vírus são organismos que têm uma proteção proteica e internamente o ácido nucléico. Vírus não são nem considerados seres vivos. Portanto, uma medicação para protozoário nunca cabe para vírus”, concluiu. 
 
*Estagiária sob a supervisão do subeditor João Renato Faria


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade