Publicidade

Estado de Minas 'TREINANDO O PESSOAL'

Possível relator da CPI da COVID, Renan ironiza lista da Casa Civil

Segundo Renan Calheiros, é mais 'recomendável' fazer a lista do que 'continuar tentando interferir nos poderes'


26/04/2021 15:04 - atualizado 26/04/2021 15:44

A CPI foi instalada pelo presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, por determinação do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso, depois confirmada pelo plenário da Corte(foto: Agência Brasil/Reprodução)
A CPI foi instalada pelo presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, por determinação do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso, depois confirmada pelo plenário da Corte (foto: Agência Brasil/Reprodução)
O provável relator da CPI da COVID no Senado, Renan Calheiros (MDB), ironizou nesta segunda-feira (26/4), a iniciativa do Palácio do Planalto de montar uma lista com as 23 possíveis acusações ao governo Jair BolsonaroA lista foi feita para tentar prevenir os ministérios durante a investigação dos senadores.

“Considero uma boa iniciativa. Assim, o governo gastará melhor suas energias, treinando o pessoal”, brincou o senador em entrevista ao Congresso em Foco.

Segundo Renan, é mais “recomendável” fazer a lista do que “continuar tentando interferir nos poderes, tentando influir nas bancadas, delongando a instalação da comissão, tentando mudar a correlação do Tribunal de Contas com a nomeação de novos ministros, judicializando suspeição indevida.”

No documento, estão listadas a negligência na compra de vacinas, a minimização da gravidade da pandemia, a pressão sobre ex-ministros da Saúde, a ausência de incentivo às medidas de contenção e isolamento social, o tratamento precoce e também a militarização do Ministério da Saúde.

Leia: Casa Civil lista 23 acusações contra governo que podem ser usadas na CPI

A CPI


Criada para investigar as ações e omissões do governo federal na pandemia e para fiscalizar a aplicação de recursos federais por estados e municípios, a CPI da COVID tem dois principais alvos: o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e o ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello.
 
A CPI foi instalada pelo presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, por determinação do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luís Roberto Barroso, e depois confirmada pelo plenário da Corte.

A primeira reunião está prevista para ocorrer nesta terça-feira (27/4).

* Estagiária sob supervisão do subeditor João Renato Faria.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade