Publicidade

Estado de Minas LAVA-JATO

Justiça: pagamentos da Odebrecht à empresa que contratou Moro são suspensos

Tribunal de Conta das União (TCU) abriu investigação para avaliar a contratação do ex-ministro


18/03/2021 14:03 - atualizado 18/03/2021 14:18

TCU vê conflito de interesses em relação de Moro como ex-juiz e contratado indiretamente pela Odebrecht(foto: Mauro Pimentel/AFP)
TCU vê conflito de interesses em relação de Moro como ex-juiz e contratado indiretamente pela Odebrecht (foto: Mauro Pimentel/AFP)
O juiz João de Oliveira Rodrigues Filho, da 1ª Vara de Falências e Recuperações Judiciais, suspendeu pagamentos da Odebrecht (atual Novonor) à empresa Alvarez & Marsal, administradora judicial da construtora. O magistrado entendeu que Sergio Moro pode estar recebendo dinheiro indiretamente da empreiteira.

A decisão ocorreu após o Tribunal de Contas da União (TCU) iniciar investigação sobre a contratação de Moro. As decisões dele, quando era juiz e estava à frente da 13ª Vara Federal de Curitiba, levaram ao cenário de insolvência da empresa. O TCU avalia como conflito de interesses o fato de Moro ter ordenado a prisão de acionistas e diretores da Odebrecht, e agora atuar na administradora judicial da empresa.

O ministro Bruno Dantas, do TCU, afirmou que a situação é "no mínimo peculiar e constrangedora". Desde 2019 até o momento, a Alvarez & Marsal recebeu cerca de R$ 21 milhões da Obrebrecht. Os pagamentos ficaram na ordem de R$ 400 mil por mês. Tanto Moro quanto a Marsal afirmaram que o ex-ministro atua na área de compliance da empresa, e que não integra a equipe que cuida dos processos da Odebrecht.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade