Publicidade

Estado de Minas MINISTÉRIO PUBLICO

Candidato de Flávio Bolsonaro para comandar MP no Rio ofende ministros do STF nas redes sociais

Em alguns posts, o procurador Marcelo Rocha Monteiro chega a chamar duas mulheres de 'vagabunda' e 'cretina'


26/11/2020 16:11 - atualizado 26/11/2020 16:36

Marcelo Rocha Monteiro é candidato de Flávio Bolsonaro para chefiar o Ministério Público do Rio de Janeiro(foto: Redes Sociais/Reprodução)
Marcelo Rocha Monteiro é candidato de Flávio Bolsonaro para chefiar o Ministério Público do Rio de Janeiro (foto: Redes Sociais/Reprodução)
O procurador Marcelo Rocha Monteiro, candidato de Flávio Bolsonaro para chefiar o Ministério Público do Rio de Janeiro, usa as redes sociais constantemente para ofender os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). Em um dos posts, Monteiro chega a chamar uma mulher de “vagabunda”.

Em diversos posts, ele usa “emoticons de fezes” para compartilhar notícias dos magistrados. Em 8 de julho, por exemplo, usou o "emoji" para comentar uma notícia sobre Gilmar Mendes. As informações foram publicadas na coluna do jornalista Guilherme Amado, da revista Época.

Ao comentar uma notícia em que o Supremo determinava o fim da superlotação em unidades socioeducativas do país, Marcelo escreveu: "O Supremo acaba de abrir as portas para devolver às ruas homicidas, estupradores, assaltantes e traficantes".
 
Ele também chegou a debochar e ironizar a ministra Cármen Lúcia, chamando a magistrada de “brilhante ministra”. Em 25 de agosto, Cármen Lúcia deu 40 horas para que o Banco Central explicasse a nota de R$ 200. "Explicando para a brilhante ministra: nota de 200 corresponde a duas de 100, Excelência. Entendeu?".

Três dias, o candidato de Flávio insinuou que Luís Roberto Barroso era um "clown (palhaço em inglês)”.

Após o atentado a Jair Bolsonaro, o procurador ofendeu duas mulheres em suas redes sociais."Cretina", escreveu sobre uma mulher que repudiava o atentado e dizia que Lula não alimentou ódio violento. 

Em outra publicação, seguiu: "Mais uma vagabunda", respondendo a uma mulher que disse que Bolsonaro plantou ódio.
 
* Estagiária sob supervisão da subeditora Ellen Cristie. 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade