Publicidade

Estado de Minas POLÍTICA

Em meio a gritos de 'traidor', senador Major Olímpio critica Flávio Bolsonaro: 'Ladrão de rachadinha'; veja vídeo

O embate com bolsonaristas aconteceu em Taubaté, a 140 km de São Paulo


24/11/2020 14:45 - atualizado 24/11/2020 16:07

Ex-aliados, Flávio Bolsonaro e Major Olímpio agora são 'inimigos' no Senado(foto: Agência Brasil/Reprodução)
Ex-aliados, Flávio Bolsonaro e Major Olímpio agora são 'inimigos' no Senado (foto: Agência Brasil/Reprodução)
O senador Major Olímpio (PSL) acabou se envolvendo em uma discussão com apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) nesta terça-feira (24). Chamado de “traidor” pelos bolsonaristas, Olímpio reagiu à situação. O embate aconteceu em Taubaté, a 140 km de São Paulo.

O senador foi até a cidade para participar da campanha da candidata à prefeita Loreny (Cidadania).

Nas imagens, que viralizaram na internet, é possível ver o senador sendo chamado de “traidor” por um grupo, em uma praça. 

Em resposta, Olímpio grita “ladrão” e “ladrão de rachadinha”, enquanto é chamado de “traíra” por um rapaz com uma blusa escrita “Direita de Taubaté”.

No vídeo é também possível ver um homem com uma faixa escrita “não vote em comunista”, fazendo referência à candidata Loreny, apoiada pelo senador. 

 
A deputada federal Carla Zambelli (PSL) publicou as imagens em sua conta no Twitter. Tecendo críticas ao companheiro de partido, a deputada diz que “virou um padrão a forma que esse senador trata o contribuinte”. 

Críticas a Flávio

Ao gritar “ladrão de rachadinha”, Olímpio faz referência ao senador e filho do presidente, Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ). Isso porque Flávio foi denunciado pelo Ministério Público por ter supostamente arrecadado parte do salário dos servidores de seu gabinete na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) quando ainda era deputado estadual.

Os dois já trocaram várias farpas no Senado. Inclusive cheias de "palavrões" e xingamentos de baixo calão.

 
Briga com Bolsonaro

Muito amigo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), Major Olímpio foi responsável por coordenar a campanha do presidente, em 2018, no estado de São Paulo.

Olímpio rompeu seus laços com o Bolsonaro após se sentir pressionado para assinar a CPI da Lava Toga. Segundo ele, Bolsonaro queria privilegiar Flávio Bolsonaro.

*Estagiária sob supervisão da editora Liliane Corrêa


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade