Publicidade

Estado de Minas GRANDE BH

Eleições 2020: João Marcelo leva disputa pela prefeitura de Nova Lima

Atual vice-prefeito, do Cidadania, venceu com 38,21% dos votos


15/11/2020 23:18 - atualizado 15/11/2020 23:41

João Marcelo foi eleito sem o apoio do atual prefeito (foto: Reprodução/Redes Sociais )
João Marcelo foi eleito sem o apoio do atual prefeito (foto: Reprodução/Redes Sociais )
João Marcelo Dieguez
(Cidadania) venceu as eleições municipais em Nova Lima, na Região Metropolitana de BH (RMBH), com 20.077 votos. O atual vice-prefeito travou uma disputa polêmica contra o candidato Wesley de Jesus (DEM), apoiado pelo atual prefeito, Vitor Penido (DEM). 
 
João Marcelo, de 28 anos, é formado em administração e tem pós-graduação em administração pública. Por ser jovem, opositores levantaram suspeitas sobre a aptidão do vice-prefeito. “Competência não tem idade, felizmente sou o mais jovem dos candidatos, tenho mais energia. Não vou permitir que ninguém diminua minha trajetória por ter apenas 28 anos”, rebateu o prefeito eleito. 
 
O vice de João Marcelo é o cirurgião dentista Diogo Ribeiro (Cidadania). “É um grande amigo, de uma família simples, é empresário, está disputando as eleições pela primeira vez. Ele conhece a cidade e seus problemas, e não carrega os vícios e péssimas práticas que queremos ver longe da política”, comentou o candidato eleito. 
 
Dieguez falou com orgulho do legado da gestão de Vitor Penido que irá levar para seu futuro mandato. “A grande conquista da atual gestão foi o reequilíbrio financeiro do município”, comemorou. A previsão é que o município encerre 2020 com mais de R$ 300 milhões em cofre, enquanto houve déficit nas gestões anteriores.

“Não é dinheiro que está lá acumulado, é dinheiro pré-estabelecido para a execução de obras que estão planejadas para serem executadas no governo de continuidade”, disse João Marcelo.
 

Propostas de governo

Com dinheiro em caixa, João Marcelo fala com confiança sobre os planos para sua gestão. “A prioridade vai ser reativar a economia e unificar a cidade”, afirmou. Nova Lima é conhecida por ser composta por bairros e regiões com perfis socioeconômicos muito diferentes. 

“Nova Lima é tratada como cidade dos ricos, isso me incomoda. Precisamos integrar nossas realidades aqui em Nova Lima, conectar as pessoas e as oportunidades. Vamos instaurar um programa de renda mínima, o “Nova Lima cidadã”, disse. 
 
João Marcelo apresentou como outras prioridades de seu governo a conclusão de obras já iniciadas e o apoio às cerca de 1.500 famílias em situação de desemprego devido à pandemia de COVID-19. 
 
“O Plano Diretor também vai ser prioridade. Esperamos encaminhar nossa proposta de revisão ainda no primeiro ano de governo. Precisamos lidar com temas como déficit habitacional e ocupações irregulares”, complementou. 
 

Campanha marcada por acusações

Wesley de Jesus, que também concorreu às eleições municipais deste ano, durante a campanha entregou uma notícia-crime ao Ministério Público Eleitoral (MPE) associando João Marcelo e seu chefe de gabinete, Leonardo Ângelo Costa Ribeiro, a uma suposta campanha de fake news. 
 
Em outubro, áudios começaram a circular pelas redes sociais acusando Wesley de obrigar motoristas de uma cooperativa que presta serviço à Prefeitura de Nova Lima comparecerem a um evento eleitoral do tipo "drive in" com carreata e adesivamento de veículos.

Uma perícia contratada pela equipe de Wesley de Jesus alegou ter atestado que a voz que aparecia distorcida nos áudios era, na verdade, de Leonardo Ângelo, chefe de gabinete de João Marcelo. 
 
João Marcelo e Leonardo negaram as acusações e também apresentaram um laudo técnico que desmentia as acusações de Wesley. João Marcelo afirmou que integra um movimento político que defende a renovação e não compactua com as velhas práticas historicamente usadas pelos mesmos grupos de poder.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade