Publicidade

Estado de Minas EM BANHEIRO DE ESCOLA

Vereador de Varginha é procurado pela polícia, suspeito de importunação sexual

Adolescente diz ter sido observada por Zué do Esporte (PP) enquanto trocava o uniforme no banheiro de uma escola municipal; outras vítimas se manifestaram em redes sociais


26/10/2020 11:40 - atualizado 26/10/2020 12:18

Zué do Esporte (PP) é suspeito de importunação sexual (foto: Câmara Municipal/divulgação)
Zué do Esporte (PP) é suspeito de importunação sexual (foto: Câmara Municipal/divulgação)
O vereador Zué do Esporte (PP) é suspeito de importunação sexual contra mulheres em Varginha, no Sul de Minas. O caso foi denunciado por uma adolescente, que diz ter sido observada enquanto trocava o uniforme na quadra da Escola Municipal Dr Jacy de Figueiredo (CAIC).

Policiais Militares e Civis foram até a casa de Josué Campos Narciso, de 32 anos, nesse domingo (25), mas ele não foi encontrado.

 

De acordo com a polícia, a vítima de 18 anos relatou que foi abordada pelo vereador enquanto assistia o namorado a jogar basquete. “Ele convidou a vítima para integrar uma equipe de vôlei e ofereceu a ela um uniforme”, diz Polícia Civil.

 

No momento, em que a jovem foi ao banheiro trocar a roupa, ela teria sido observada pelo vereador. “A vítima percebeu uma movimentação estranha no teto, quando, então, percebeu a existência de um buraco e que o vereador Zué a observava, escondido, de outra sala, enquanto ela se trocava”, completa.

 

Objetos foram apreendidos na casa de vereador foragido(foto: Polícia Civil/divulgação)
Objetos foram apreendidos na casa de vereador foragido (foto: Polícia Civil/divulgação)
O caso foi divulgado nas redes sociais e outras mulheres se manifestaram, relatando ter sido vítimas de Zué. “Pelo menos uma das vítimas era adolescente”, afirma.

 

Espingarda calibre 12, de origem turca, sem registro também foi apreendida(foto: Polícia Civil/divulgação)
Espingarda calibre 12, de origem turca, sem registro também foi apreendida (foto: Polícia Civil/divulgação)
Policiais Militares e Civis foram até a casa dele nesse domingo, mas Zué não foi encontrado. Os policiais apreenderam objetos e uma espingarda calibre 12, de origem turca, que estava sem registro.

 

Além disso, os policiais descobriram um cômodo na mesma escola municipal, que era usado pelo suspeito sem autorização para fins políticos. “Na sala foram encontrados, inclusive, material de campanha eleitoral, incompatível com o local público em questão”, ressalta.

 

A Perícia da Polícia Civil também esteve no local.  “Zué se valia de um banco para subir ao teto e, por meio de um buraco, espionar as mulheres que abordava, enquanto elas se trocavam no local. Na parede do local foram encontrados vestígios de sêmen”, diz.

 

Segundo a polícia, o vereador convencia as vítimas a trocarem as roupas e ainda tirarr as vestes íntimas. “Os trajes oferecidos não eram compatíveis com roupas de prática de voleibol”, afirma.

 

O advogado do suspeito, Jonatan Lima, informou que não teve conhecimento do inquérito policial, mas o cliente negou os fatos. “Ele esclarece que no decorrer da instrução processual vai provar a inocência. Logo, Zué deve prestar depoimentos. Estamos esperando o delegado marcar”, diz advogado por telefone.

 

De acordo com a Câmara Municipal de Varginha, Zué é candidato à reeleição e vai aguardar as investigações para adotar as medidas necessárias. “A Câmara Municipal de Varginha enfatiza que é contra o cometimento de qualquer tipo de crime", diz nota.

 

Nota da Prefeitura

 

Com relação aos fatos divulgados pela imprensa, envolvendo o vereador Zué do Esporte, a Secretaria Municipal de Educação informa que:

 

Ao contrário do que vem sendo divulgado o vereador não reside nas dependências do CAIC 1.

 

O referido vereador desenvolvia um projeto social na área do esporte em um espaço da referida escola, porém, devido a pandemia, todos os projetos de atividades esportivas realizados nas escolas municipais estão suspensos desde o dia 19 de março, inclusive o do Vereador.

 

Com relação aos fatos divulgados pela imprensa, a secretaria de educação está instaurando inquérito administrativo para apurar os fatos e as responsabilidades.

 

O vereador não tem nenhum vínculo com a unidade escolar, pois não é servidor efetivo/ contratado.

 

Por fim, esclarece que nenhuma pessoa está autorizada a ingressar nas dependências de escolas ou outras repartições públicas sem autorização, muito menos fora do horário de expediente.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade