Publicidade

Estado de Minas ACUSADA DE MATAR O MARIDO

Justiça determina que Flordelis use tornozeleira eletrônica

Decisão também obriga a deputada a ficar em recolhimento domiciliar das 23h às 6h


18/09/2020 16:51 - atualizado 18/09/2020 17:07

Flordelis (PSD)(foto: Agência Brasil/Reprodução)
Flordelis (PSD) (foto: Agência Brasil/Reprodução)
A Justiça do Rio de Janeiro determinou nesta sexta-feira (18) que a deputada federal Flordelis (PSD), acusada de ser mandante do assasinato do próprio marido, comece a usar tornozeleira eletrônica e fique em recolhimento domiciliar das 23h às 6h. A decisão é da juíza Nearis dos Santos Carvalho, da 3ª Vara Criminal de Niterói.
 
 
Anderson foi executado com mais de 30 tiros na porta de casa. Na época do assassinato, a deputada federal afirmou que se tratava de um assalto. A investigação conduzida pelo Ministério Público e pela Polícia Civil encontrou, no entanto, divergências nos depoimentos, além de outras evidências.
 
Na última quarta-feira (16), a deputada não popou elogios a Anderson nas redes sociais. Em meio à investigação ela postou uma declaração de amor para o ex-marido no Instagram. 
 
“Meu Nem, meu amor, você segue vivo dentro de mim. Um ano e três meses longe, parece uma eternidade, mas o que me acalma é a certeza de que mesmo que você não possa voltar, um dia eu vou poder ir até o seu encontro. Sei que preciso continuar e não deixar a felicidade fugir de vez da minha vida, mas a saudade que sinto de você me deixa paralisada”, escreveu.

 

Câmara 


Flordelis também entregou, na quarta-feira, sua defesa por escrito à Corregedoria da Câmara dos Deputados, no processo a que responde por quebra de decoro parlamentar. O caso pode levar Flordelis à perda do mandato.

* Estagiária sob supervisão da editora Liliane Corrêa


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade