Publicidade

Estado de Minas LAVA-JATO

Lula defende Bolsonaro e ataca Moro: 'Tenta ganhar a opinião pública mentindo outra vez'

De acordo com o ex-presidente, Bolsonaro tem o direito de indicar o diretor da Polícia Federal


15/09/2020 15:11 - atualizado 15/09/2020 15:45

]As declarações vem um dia depois de Lula ter sido denunciado pela quarta vez na Lava-Jato, por lavagem de dinheiro em doações recebidas da Odebrecht(foto: Redes Sociais/Reprodução)
]As declarações vem um dia depois de Lula ter sido denunciado pela quarta vez na Lava-Jato, por lavagem de dinheiro em doações recebidas da Odebrecht (foto: Redes Sociais/Reprodução)
O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou nesta terça-feira (15) ao site DCM que o ex-ministro da Justiça e Segurança Pública Sérgio Moro (sem partido) é um “desequilibrado” e “medíocre”. De acordo com Lula, Moro criou uma “pirotecnia” quando acusou o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) de ter tentado interferir na Polícia Federal para proteger a família. 


“Ele (Moro) poderia ter demonstrado seriedade quando virou bolsonarista. Ele é tão medíocre que, quando sai, ele tenta criar mais uma pirotecnia com o apoio da Globo: ‘Ah, eu vou sair porque o Bolsonaro quer indicar o diretor-geral da Polícia Federal’. É importante lembrar que o presidente da República tem o direito de indicar o diretor da Polícia Federal, sim. Eu indiquei duas vezes e nunca pedi nem orientei porque eles têm autonomia. E por que o Moro achava que ele podia e o Bolsonaro não podia? Tenta ganhar a opinião pública mentindo outra vez”, afirmou Lula defendendo Bolsonaro.

Durante entrevista, o ex-presidente chegou a acusar a TV Globo de ser umas das principais mentoras da criminalização da política no Brasil, por meio de sua relação com a operação Lava-Jato. "Como a Globo vai se desfazer do Moro? Foi ela que pariu o Moro", enfatizou Lula. 

Novas acusações

Ao falar sobre as novas acusações, Lula falou que a força-tarefa “inventa uma mentira na expectativa de algo que cole contra o Lula”. Segundo o ex-presidente, ele acredita que deve ser condenado. “É apenas uma questão de tempo.”

“O crime que eu cometi foi a ousadia. Eles tentam anular essa parte da história do Brasil. Tenho força e caráter para enfrentar a podridão da força-tarefa de Curitiba. Estou tranquilo. A mesma safadeza estão fazendo com o Cristiano Zanin (advogado de defesa). Até quando o Judiciário terá conivência com essa podridão?”, disse.

Ao finalizar as falas, Lula voltou a falar sobre Moro e informou que não tem ódio do ex-juiz. “Não tenho do Moro o ódio que ele tem de mim. Como pessoa humana, quero que ele seja tratado com o respeito que eu não fui por ele.”
 
*Estagiária sob supervisão da editora Liliane Corrêa


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade