Publicidade

Estado de Minas

Bolsonaro unifica discurso com Congresso em defesa do teto de gastos

Presidente fez pronunciamento nesta tarde em Brasília ao lado de Rodrigo Maia (DEM-RJ) e Davi Alcolumbre (DEM-AP)


12/08/2020 19:01 - atualizado 12/08/2020 20:12

O presidente Jair Bolsonaro entre o senador Davi Alcolumbre (E) e o deputado federal Rodrigo Maia, presidentes do Senado e da Câmara, respectivamente(foto: Carolina Antunes/PR)
O presidente Jair Bolsonaro entre o senador Davi Alcolumbre (E) e o deputado federal Rodrigo Maia, presidentes do Senado e da Câmara, respectivamente (foto: Carolina Antunes/PR)
O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) se reuniu com lideranças do Congresso nesta tarde, em Brasília, para defender alinhamento a respeito do teto de gastos e a atual situação econômica do país durante a pandemia. Entre os assuntos debatidos pelo presidente, estão a série de privatizações defendidas pelo governo e a reforma administrativa.
  
"Fizemos uma reunião onde as principais lideranças do Executivo e Legislativo estavam presentes. Lamento apenas a ausência do presidente do Supremo. A economia está reagindo, o Brasil está indo bem e nós vamos direcionar nossas forças para o bem comum daquilo que todos defendemos. Queremos o progresso, o desenvolvimento e bem estar do povo. Respeitamos o teto de gastos, queremos a liberdade fiscal. E o Brasil tem como ser um dos melhores países que reagirá à crise", afirmou o presidente.
 
Bolsonaro espera que as ações do governo possam colocar o Brasil nos eixos, mesmo com as incertezas em virtude da pandemia do coronavírus: "Nós nos empenharemos para buscar soluções, destravar a economia e colocar o Brasil onde ele mereceu estar".
 
Presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ) também seguiu o discurso do presidente ao defender a limitação das despesas do governo para seguir na linha do crescimento econômico: "Nessa importante reunião nós afirmamos o compromisso de gastos. Dentro dessa realidade, temos muito a fazer. Reafirmamdo o teto de gastos, vai nos dar a condição de administrar nosso orçamento. Melhorar a qualidade do gasto e do serviço público".
 
Já o senador Davi Alcolumbre (DEM-AP) entende que o parlamento tem feito emendas importantes no intuito de manter a responsabilidade fiscal: "Vivemos uma pandemia que vai trazer consequências na vida dos brasileiros. Mas o Parlamento sempre esteve atento à movimentação, protegendo a saúde e votando propostas importantes na manutenção dos empregos. A agenda proposta é para nivelar as informações desaa agenda de responsabilidade fiscal. Temos uma emenda limitando os gastos públicos e precisamos formar esse conhecimento do pacto federativo. Essas estratégias para debater esses assuntos é fundamental".  
 
Também estiveram presentes os ministros da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, e do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho. Além deles, o líder do Governo no Congresso, senador Eduardo Gomes (Solidariedade-TO), o líder do PP, Arthur Lira (AL), um dos principais nomes do 'Centrão', e o recém-anunciado líder do governo na Câmara, deputado Ricardo Barros (PP-PR).


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade