Publicidade

Estado de Minas SUPREMO

Gilmar Mendes defende inquérito das fake news: 'estupro não é liberdade de expressão'

O ministro comentou os ataques a ministros do STF, lidos por Alexandre de Moraes em seu voto, nesta quarta-feira (17)


postado em 17/06/2020 16:54 / atualizado em 17/06/2020 17:31

Gilmar Mendes, ministro do Superior Tribunal Federal (STF)(foto: Nelson Jr. /STF)
Gilmar Mendes, ministro do Superior Tribunal Federal (STF) (foto: Nelson Jr. /STF)
O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, comentou em uma rede social, na tarde desta quarta-feira (17), o voto do colega Alexandre de Moraes, que leu alguns dos ataques aos membros do STF para justificar o inquérito das fake news.
 
 
 

Em seu voto nesta quarta-feira (17), o também ministro do STF, Alexandre de Moraes, leu algumas ameaças recebidas pelos integrantes da Corte. Ao citar uma delas, ele precisou esclarecer que incitar o estupro contra as filhas dos ministros não é o mesmo que exercer o direito de liberdade de expressão, mas, sim, um crime.

"Peço uma redobrada atenção para algumas frases, algumas duras, inclusive, que vou ler de algumas agressões e ofensas aos ministros do Supremo Tribunal Federal, para que se pare de uma vez por todas de se fazer confusão de críticas, por mais ácidas que sejam, e que devem existir e continuar, com agressões, com ameaças e coações", falou Alexandre de Moraes, que leu logo em seguida uma destas ameaças.
 
*Estagiário sob supervisão da editora Liliane Corrêa 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade