Publicidade

Estado de Minas NOMEAÇÃO

Mendonça assume Justiça: 'Bolsonaro é profeta no combate à criminalidade'

Ex-advogado da União herda posto deixado por Sergio Moro, que deixou o cargo na semana passada


postado em 29/04/2020 15:59 / atualizado em 29/04/2020 16:16

André Mendonça garante que a Polícia Federal terá mais atuação em conjunto com o Ministério da Justiça no combate à criminalidade(foto: Reprodução/Rede Brasil)
André Mendonça garante que a Polícia Federal terá mais atuação em conjunto com o Ministério da Justiça no combate à criminalidade (foto: Reprodução/Rede Brasil)
Substituto do juiz Sergio Moro, que pediu demissão na semana passada, o novo ministro da Justiça e Segurança Pública, André Luiz de Almeida Mendonça, tomou posse nesta tarde (29) em Brasília, em solenidade que contou com a presença do presidente Jair Bolsonaro e do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli. Em seu primeiro discurso, Mendonça garantiu que sua pasta terá mais atuação em conjunto com a Polícia Federal e atuará ao máximo no combate à criminalidade no país.
 
O novo ministro é advogado da União desde 2000 e foi assessor especial do ministro da Controladoria-Geral da União, Wagner Rosário, de 2016 a 2018. Sua nomeação para o ministério da Justiça foi confirmada na madrugada desta terça-feira pelo Diário Oficial da União (DOM).

Em certo momento do discurso, ele teceu elogios a Jair Bolsonaro, chamando-o de “profeta no combate à criminalidade”. "Hoje, esse espectro se amplia. Hoje, vamos lutar por esses ideais de uma vida que o senhor tem combatido”, disse.

Mendonça citou as forças de segurança no país – Polícia Federal, Polícia Civil, Polícia Militar e Guarda Municipal – e assegura que reconhecerá o esforço dos agentes que vêm trabalhando durante o período do coronavírus no país: "Temos de reconhecer o valor dos agentes de segurança. A esses heróis, vamos garantir toda a retaguarda jurídica e valorização".

Ele também pediu união com governadores e prefeitos no combate à criminalidade: “Vamos ter uma atuação integrada com estados e municípios. Temos um sistema único de segurança. É preciso compreender que a criminalidade atua em rede de inúmeras pessoas, onde é mais complexo retirar os agentes que a coordenam. Não se combate criminalidade se estado, municípios e a União não se organizarem em redes. Isso envolve estratégias, investimentos em inteligência, recursos humanos e em equipamentos. Vamos lutar para que essa rede seja efetiva”.




receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade