Publicidade

Estado de Minas COVID-19

SP reabre economia em maio


postado em 23/04/2020 04:00

João Doria diz que o isolamento social continua no estado (foto: SÉRGIO ANDRADE/GOVERNO DE SÃO PAULO)
João Doria diz que o isolamento social continua no estado (foto: SÉRGIO ANDRADE/GOVERNO DE SÃO PAULO)
São Paulo – O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou a reabertura da atividade econômica no estado a partir de 11 de maio. Segundo ele, a retomada é possível, já que o governo conseguiu controlar a curva de infecções do coronavírus e a ocupação de leitos dos hospitais para o tratamento da COVID-19. Doria comemorou a taxa média de 57% de isolamento. "Agradeço à população, 57% é um número bastante razoável”, disse.

Ao anunciar o plano, Doria criticou quem desrespeitou o isolamento. Classificando-os como "inimigos da vida", Doria afirmou que pediu resposta dos oficiais de segurança pública ao descumprimento. "Desrespeitaram, sem máscaras, as orientações do governo e da Prefeitura de São Paulo" e "se tornaram amigos e defensores do vírus e inimigos da vida", disse.

"Façam suas manifestações de forma segura, pela internet, mas não sejam irresponsáveis de fazerem isso na rua, nas avenidas de São Paulo, e ainda tentando bloquear algumas vias da cidade", alertou o tucano.

Sobre a reabertura gradual da economia, o governador afirmou que levará em conta situações locais, regionais e setores que possam retomar a economia com as devidas medidas de proteção. O plano para reabertura é chamado de Plano São Paulo. A quarentena está em vigor no estado desde 24 de março e, com ela, somente os setores considerados essenciais – como abastecimento, logística, segurança e saúde – podem funcionar.

Os setores que vão voltar a funcionar a partir de 11 de maio não foram informados pelo governo paulista. Esse anúncio, segundo o governador, será feito somente em 8 de maio. Para ajudar a elaborar o plano, o governador montou equipe com diversos economistas do país, como Persio Árida.

Segundo a secretária de Desenvolvimento Social, Patricia Ellen, os critérios que serão utilizados para essa retomada vão considerar a preparação do sistema de saúde, da sociedade e dos setores econômicos.

Vulnerabilidade

“Queremos atender os setores com maior vulnerabilidade econômica. Então vamos priorizar setores que têm maior vulnerabilidade e menor risco do ponto de vista do enfrentamento da pandemia para que eles sejam retomados e acolhidos mais rapidamente”, disse a secretária. A abertura, segundo ela, será feita de forma regionalizada, observando a ocupação dos leitos nos municípios do estado. 

Sul

O governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, apresentou o novo modelo de distanciamento controlado que prevê a abertura dos municípios de forma regional a partir de maio. A proposta se baseia na relação entre o número de casos confirmados e a capacidade de cada região de atender pacientes graves. O objetivo é evitar que os hospitais tenham sobrecarga de atendimento. O novo modelo deve substituir o decreto estadual que proíbe a abertura dos estabelecimentos não essenciais apenas na Região Metropolitana de Porto Alegre, onde há mais casos de coronavírus. Em caso de descumprimento, as prefeituras podem ser investigadas por crime de responsabilidade.




receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade