Publicidade

Estado de Minas POLÍTICA

Formulador de estratégia contra a COVID-19 pede demissão do Ministério da Saúde

Situação de Luiz Henrique Mandetta, ministro da Saúde, no cargo é cada vez mais incerta


postado em 15/04/2020 12:36 / atualizado em 15/04/2020 15:57

Wanderson disse que deixaria o cargo assim que saída de Mandetta fosse oficializada(foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil)
Wanderson disse que deixaria o cargo assim que saída de Mandetta fosse oficializada (foto: Marcello Casal Jr./Agência Brasil)
O epidemiologista Wanderson de Oliveira pediu demissão na manhã desta quarta-feira (15) do cargo de secretário nacional de Vigilância em Saúde. Ele é apontado como um dos principais formuladores da estratégia do Ministério da Saúde para enfrentar a COVID-19 e vinha se queixando a colegas sobre o discurso do presidente Jair Bolsonaro contrário ao isolamento social mais amplo.

Wanderson Oliveira já se despediu dos colegas por meio de uma carta e distribuiu relatório de sua gestão ainda na terça-feira. Na carta, ele afirma que teve reunião com o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, e "sua saída estava programada para as próximas horas ou dias". Oliveira diz que até uma demissão de Mandetta pelo Twitter poderá ocorrer. "Só Deus para entender o que o querem fazer", completou.

O secretário já havia dado sinais de retirada ao distribuir na terça a colegas um relatório sobre a sua gestão.

Na semana passada, em entrevista na qual revelou que auxiliares chegaram a limpar suas gavetas no gabinete achando que ele seria demitido naquele dia, Mandetta afirmou que, caso fosse embora, seu time sairia junto. "Aqui nós entramos juntos, estamos juntos e quando eu deixar o ministério a gente vai colaborar de outra forma a equipe que virá. Entramos juntos e vamos sair juntos", afirmou o ministro na ocasião.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade