Publicidade

Estado de Minas POLÍTICA

No Facebook, Bolsonaro exalta golpe militar de 1964

O presidente já havia dito que o aniversário do golpe militar de 31 de março de 1964 é um 'grande dia da liberdade'


postado em 31/03/2020 22:23 / atualizado em 31/03/2020 23:11

Bolsonaro escreveu que Castelo Branco foi eleito de acordo com a Constituição(foto: Marcos Corrêa/PR)
Bolsonaro escreveu que Castelo Branco foi eleito de acordo com a Constituição (foto: Marcos Corrêa/PR)
O presidente Jair Bolsonaro usou na noite desta terça-feira, 31, o Facebook para defender o golpe militar de 1964. Bolsonaro postou o texto depois do quarto pronunciamento em cadeia nacional de rádio e TV desde o início da crise do coronavírus, durante o qual foi alvo de panelaços pelo País.

 

 

Mais cedo, já na manhã desta terça-feira, Bolsonaro havia dito que o aniversário do golpe militar de 31 de março de 1964 é um "grande dia da liberdade".

Após iniciar a postagem desta noite escrevendo "31/Março/64, um pouco de História", o presidente publicou o registro de algumas datas relacionadas ao golpe militar: "02/abril/64: o Congresso declara vago o cargo de Presidente da República. Assume o Deputado Ranieri Mazzilli; 11/abril/64: em eleições indiretas o Congresso elege o Marechal Castelo Branco como Presidente da República, de acordo com a Constituição de 1946; 15/abril/64: assume a presidência o Marechal Castelo Branco".

Em seguida, Bolsonaro escreveu que Castelo Branco foi eleito de acordo com a Constituição e que não houve golpe em 31 de março. O presidente classificou esses dois episódios como "a verdade".

Leia a íntegra a postagem do presidente:

"- 31/Março/64, um pouco de História:

- 02/abril/64: o Congresso declara vago o cargo de Presidente da República. Assume o Deputado Ranieri Mazzilli.
- 11/abril/64: em eleições indiretas o Congresso elege o Marechal Castelo Branco como Presidente da República, de acordo com a Constituição de 1946.
- 15/abril/64: assume a presidência o Marechal Castelo Branco.

- A verdade: o Marechal foi eleito de acordo com a Constituição e não houve golpe em 31 de março."

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade