Publicidade

Estado de Minas COVID-19

Toffoli e MP reagem ao presidente


postado em 31/03/2020 04:00

''Tudo que tem ocorrido no mundo leva a crer na necessidade do isolamento realmente'' - Dias Toffoli, presidente do STF (foto: Carlos Moura/STF/Divulgação - 1/7/15)
''Tudo que tem ocorrido no mundo leva a crer na necessidade do isolamento realmente'' - Dias Toffoli, presidente do STF (foto: Carlos Moura/STF/Divulgação - 1/7/15)
Em uma live ao lado do presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Felipe Santa Cruz, o presidente do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli, voltou a defender o isolamento como estratégia para combater o coronavírus. A transmissão ao vivo foi realizada no Instagram de Santa Cruz. “Tudo que tem ocorrido no mundo leva a crer na necessidade do isolamento realmente. Que é para puxar a diminuição de uma curva e ter atendimento de saúde para população em geral", afirmou Toffoli.

Na mesma transmissão, o ministro também disse que, em um estado democrático de direito “não há como deturpar os fatos” e que a partir dos mesmos é que se toma as “melhores decisões”. “Não dá para tomar decisões em cima do que eu acho, do que eu penso, do que eu gostaria que fosse. Nós temos que analisar e tomar decisões diante daquilo que é a realidade se não ela se volta contra nós", disse.

A política de isolamento tem sido desincentivada pelo presidente Jair Bolsonaro, que chegou, no domingo, a visitar estabelecimentos e defender, perante a vendedores e apoiadores, a volta do comércio. A publicação no Twitter foi apagada pela rede social, que tem excluído conteúdos que neguem ou distorçam orientações dos órgãos de saúde em relação ao combate e prevenção ao novo coronavírus.

Multa O procurador da República Julio José Araujo Junior, do Ministério Público Federal no Rio de Janeiro, pediu à Justiça Federal que aplique multa de R$ 100 mil à União após o presidente Jair Bolsonaro “realizar caminhadas em cidades satélite do Distrito Federal" no domingo. Ele também pede a majoração da multa para R$ 500 mil caso o presidente repita o gesto. O pedido de Araujo Junior se baseia em tutela de urgência de ação civil concedida pela 1ª Vara Federal de Duque de Caxias (RJ) que determinou à União que se abstivesse de estimular a “não observância do isolamento social recomendado pela Organização Mundial da Saúde”.

Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade