Publicidade

Estado de Minas ELEIÇÕES MUNICIPAIS

Zema é o cabo eleitoral dos sonhos do partido Novo

Partido aposta alto no empenho do governador de Minas, o único da legenda no país, para conquistar prefeituras e vagas nas câmaras municipais nas eleições do ano que vem


postado em 19/08/2019 06:00 / atualizado em 19/08/2019 07:38

Participação de Romeu Zema, o único governador do Novo, é considerada fundamental nas eleições (foto: GLADYSTON RODRIGUES/EM/D.A PRESS)
Participação de Romeu Zema, o único governador do Novo, é considerada fundamental nas eleições (foto: GLADYSTON RODRIGUES/EM/D.A PRESS)

Na primeira eleição em que os seus candidatos terão o governador como principal cabo eleitoral, o partido Novo se debruça sobre regras para a participação de Romeu Zema nas campanhas e escolha de nomes próprios para prefeitos e vereadores em 2020. A ideia é que o estreante na política participe ativamente no pedido de votos para a legenda – especialmente em Belo Horizonte – e apoie nomes de outros partidos considerados “qualificados” pelo Novo. 

“A gente não tem ainda experiência em campanha (com um governador), mas é quase certo que ele vai apoiar e participar da campanha dos candidatos do Novo. Como qualquer outro, ele é um eleitor”, explica o presidente estadual do partido, Bernardo Santos.

Na segunda-feira passada, Zema comentou sobre a experiência inédita durante entrevista. “O partido nunca teve ninguém no Executivo apoiando alguma eleição. E vamos estar definindo como esse processo vai ser conduzido”, afirmou.

Em todo o país, o Novo só lançará candidatos nas cidades em que conseguiu pelo menos 150 filiações até 15 de junho. Alcançaram a meta 19 municípios em Minas: Belo Horizonte, Betim, Contagem, Nova Lima, Pedro Leopoldo, Sete Lagoas, Juiz de Fora, Poços de Caldas, Varginha, Três Corações, Uberlândia, Araxá, Ituiutaba, Patos de Minas, Taiobeiras, Montes Claros, Governador Valadares, Uberaba e Ipatinga.

Mas isso não significa que o Novo disputará a prefeitura em todas. Para ser um candidato pelo Novo é preciso preencher os requisitos previstos em edital – que deverá ser lançado até o fim do mês para as cidades do interior de Minas – e passar por um processo seletivo que terá análise de currículo, entrevistas e testes feitos por empresa especializada em recrutamento. 

Isto é, se ninguém passar no teste, aa legenda admite abrir mão de ter candidato próprio.

Mateus Simões pode ser o nome do Novo na disputa pela PBH (foto: JUAREZ RODRIGUES/EM/D.A PRESS )
Mateus Simões pode ser o nome do Novo na disputa pela PBH (foto: JUAREZ RODRIGUES/EM/D.A PRESS )


“Não adianta ter muitos candidatos só para ter resultados. Queremos dar oportunidade a novos nomes, novas ideias”, justifica o presidente. Onde o Novo não tiver nome na disputa, de acordo com Bernardo Santos, a ideia é apoiar um nome “qualificado”, mesmo filiado a outras legendas.

 “Vamos avaliar inclusive a participação do governador nessas campanhas. Temos interesse em apoiar os melhores candidatos, mesmo de outros partidos”, continuou.

''Não adianta ter muitos candidatos só para ter resultados. Queremos dar oportunidade a novos nomes, novas ideias''

Bernardo Santos, presidente do Novo em Minas Gerais



NOVAS INSCRIÇÕES 

 
Em Minas, o partido já lançou o edital para candidaturas apenas em BH. A pouco mais de dois meses do prazo final para as inscrições, a legenda já recebeu a documentação de 11 candidatos. Mas apenas quatro ainda estão na disputa.

E há quem defenda o nome do único vereador da legenda na capital, Mateus Simões. O político diz que não faz parte de seus planos disputar a sucessão de Alexandre Kalil (PSD), mas admite deixar a Câmara caso seja a melhor opção para o partido.

“Não é o que quero neste momento, mas entendo que o partido tem que ter candidato. Se tiver um nome mais adequado que o meu, estou pronto para apoiar”, afirmou. 

Os interessados em ser prefeitos deverão fazer a inscrição no site do Novo e passarão pelo filtro dos diretórios municipais e estaduais. Passada essa fase, o nome é informado à consultoria, que dará continuidade ao processo. 

Terra Natal de Zema, os cerca de 200 filiados ao Novo de Araxá já se preparam para tentar chegar à prefeitura e conquistar o maior número possível entre as 15 cadeiras da Câmara Municipal. 

“Estamos buscando nomes para se inscrever quando o edital for lançado. Temos muitas pessoas dispostas a participar do processo seletivo, inclusive para vereador. Queremos aproveitar a onda laranja”, afirmou Alexandre Ramalho, líder do núcleo do Novo em Araxá. O grupo espera apenas a liberação da direção nacional para criar um diretório no município.

''É fundamental essa associação ao Zema em todas as campanhas. Um bom resultado na condução do governo de Minas impacta em todos os níveis, desde os candidatos a vereador até os prefeitos''

Ubiratan Vieira Guimarães, responsável pelo Departamento de Apoio aos Candidatos (DAC), ligado ao diretório nacional do Novo



Direção nacional de olho no governador


A direção nacional do Novo conta com a participação do governador Romeu Zema (Novo) nas campanhas eleitorais para tentar alavancar a campanha dos candidatos nas capitais brasileiras. Cerca de 200 postulantes a políticos já se inscrevem no site do Novo para tentar virar prefeito em 2020 em 18 delas: Belo Horizonte, São Paulo, Rio de Janeiro, Vitória, Curitiba, Porto Alegre, Florianópolis, Salvador, Fortaleza, Recife, Natal, Teresina, São Luiz, Aracaju, Cuiabá, Goiânia, Campo Grande e Manaus. 

“É fundamental essa associação ao Zema em todas as campanhas. Um bom resultado na condução do governo de Minas impacta em todos os níveis, desde os candidatos a vereador até os prefeitos. É uma relação direta”, diz Ubiratan Vieira Guimarães, responsável pelo Departamento de Apoio aos Candidatos (DAC), ligado ao diretório nacional do Novo.

Os primeiros editais foram abertos em 17 de abril e as inscrições aos interessados em ser prefeito terminam em 15 de outubro. De acordo com Ubiratan Guimarães, a expectativa do partido é que de 10% a 15% dos inscritos sejam aprovados.

 “O Novo procura por pessoas que tenham capacidade e experiência para uma gestão pública de excelência, comprometidas com os valores e ideais do partido e dispostas a atuar na área pública”, afirma texto no site do partido.

A primeira etapa prevê o preenchimento de um formulário e a qualificação dos candidatos. Aprovados nessa fase seguem para as demais, que se inicia com a filiação e o pagamento de uma taxa de R$ 4 mil – sem direito a devolução em caso de ter o nome reprovado.

Entrevistas e testes comportamentais serão feitos por consultoria em recursos humanos, especialista em recrutamento de executivos para alto escalão de empresas. A última etapa prevê uma entrevista com dirigentes do Novo.


Publicidade