Publicidade

Estado de Minas

Secretária do governo Zema pode disputar Prefeitura de BH pelo PSDB

Luísa Barreto também atuou como coordenadora de plano de governo de Anastasia na última campanha


postado em 03/07/2019 15:17 / atualizado em 03/07/2019 15:48

Depois de trabalhar com Anastasia na campanha, Luísa Barreto ocupa cargo no governo Zema(foto: Ricardo Barbosa / ALMG)
Depois de trabalhar com Anastasia na campanha, Luísa Barreto ocupa cargo no governo Zema (foto: Ricardo Barbosa / ALMG)

O PSDB pode lançar uma mulher para concorrer à Prefeitura de Belo Horizonte no ano que vem e o nome mais cotado até o momento é o da atual secretária-adjunta da Secretaria de Planejamento e Gestão (Seplag), Luísa Barreto. Atualmente compondo o governo de Romeu Zema (Novo),  a técnica foi uma das coordenadoras de campanha do candidato tucano derrotado ao governo no ano passado, o senador Antonio Anastasia.

A legenda decidiu nesta semana que terá candidato próprio em Belo Horizonte mas, por enquanto, ainda não coloca nomes. Informalmente, no entanto, o nome de Luísa, que é especialista em políticas públicas e gestão governamental, começa a ganhar força.

De acordo com o líder da base na Assembleia, deputado Gustavo Valadares (PSDB), o que foi definido em reunião da Executiva por enquanto é que, “por ter os melhores quadros”, o PSDB não pode abrir mão de ter candidato na capital. “Tenho simpatia por um nome diferente do tradicional, como o da Luísa, que se encaixaria bem no perfil, mas não tratamos de nomes”, afirmou o líder da base na Assembleia, deputado Gustavo Valadares (PSDB).

O presidente do partido, deputado Paulo Abi Ackel, também garantiu que ainda não há definição de nomes, mas afirmou que o partido tem opções entre os políticos conhecidos e novas lideranças. “Temos vários quadros mas acho muito cedo para se falar em nomes. Até porque, é possível que outras pessoas queiram se filiar ao PSDB para buscar uma pré-candidatura. No momento oportuno vamos deliberar sobre o assunto”, disse.

Luísa Barreto era braço direito da ex-secretária de Planejamento e Gestão Renata Vilhena. Durante o governo de Fernando Pimentel (PT), atuou com a oposição aos petistas na assessoria técnica da minoria na Assembleia.

Na campanha eleitoral de 2018, Luísa coordenou o plano de governo da campanha de Anastasia ao governo. Na ocasião, ela disse pelas redes sociais ser uma “liberal convicta”, mas que a onda de renovação a qualquer custo “não tem distinguido os bons e os maus” e que isso era “um risco real para o país”.

A outra opção da legenda seria o deputado federal Eduardo Barbosa, que tem um trabalho com associações de pais e amigos dos exepcionais (Apaes).


Publicidade