Publicidade

Estado de Minas

'Me hackeie, nem amante eu tenho', diz Kajuru ao divulgar celular para hackers

Senador divulgou números de seu aparelho pessoal e do gabinete, além dos dígitos do CPF


postado em 19/06/2019 16:39 / atualizado em 19/06/2019 17:42

(foto: Pedro França/Agência Senado)
(foto: Pedro França/Agência Senado)

O senador Jorge Kajuru (PSB-ES), que participa da sessão em que o ministro da Justiça, Sérgio Moro, dá esclarecimentos à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, fez um desafio aos hackers que teriam vazado as conversas entre Moro – que atuava como juiz da 13ª Vara Federal de Curitiba (PR) -, e o coordenador da força-tarefa da Lava-Jato, procurador Deltan Dallagnol.


Ao finalizar seus questionamentos a Moro ele divulgou o número do celular, do gabinete, além de informar os dígitos do CPF e disparou: “Me hackeie, nem amante eu tenho”.


A fala provocou risos, inclusive, em Moro.


Na sequência, o ministro voltou a ressaltar que não vê irregularidades no conteúdo das mensagens divulgadas pelo The Intercept Brasil e ainda afastou o adjetivo de herói. “Nunca invoquei esse rótulo e acho ele inapropriado”, disse.

Cópias das supostas conversas mantidas por meio de um aplicativo de troca de mensagens por celular, o Telegram, foram entregues por uma fonte anônima ao The Intercept Brasil, que, desde o dia 9 de junho, vem publicando reportagens com base nos diálogos atribuídos ao ministro e aos procuradores da força-tarefa da Lava Jaro, principalmente o coordenador dela, Deltan Dallagnol.


Mais cedo, o Sérgio Moro afirmou que não tem medo do conteúdo que vem sendo colocado público. “Não estou com medo. Divulguem tudo de uma vez”. 


Moro, que responde aos parlamentares sobre as conversas que teria tido com o coordenador da força-tarefa, procurador Deltan Dallagnol, e divulgadas pelo site The Intercept Brasil, afirma que está “convicto” da correção de suas ações e das decisões que tomou quando exercia a função de juiz federal.


“Eu esto convicto da minha correção, das minhas decisões como juiz, e sei que se as minhas comunicações com quem quer que seja sejam divulgadas, sem adulteração e sem sensacionalismo, essa correção vai ser observada. Então eu tô absolutamente tranquilo quanto a isso”, afirmou. Ele já fala há mais de seis horas aos senadores durante sessão da CCJ.



Publicidade