Publicidade

Estado de Minas

Zema quita 13º da segurança e parcela sobe para demais servidores

O valor destinado à categoria, que teve tratamento diferenciado, é quase o mesmo que falta para pagar o resto do funcionalismo


postado em 21/05/2019 11:45 / atualizado em 21/05/2019 12:50

Zema anunciou a antecipação do pagamento para a segurança após enfrentar protestos(foto: Edesio Ferreira/EM/D.A Press)
Zema anunciou a antecipação do pagamento para a segurança após enfrentar protestos (foto: Edesio Ferreira/EM/D.A Press)

O governador Romeu Zema (NOVO) paga nesta terça-feira (21) a última parcela do 13º salário para os servidores da segurança pública. Com isso, de acordo com números informados pelo governo de Minas, o estado já pagou quase a metade da folha extra de R$ 2,3 bilhões que deixou de ser paga em dezembro pelo ex-governador Fernando Pimentel (PT).

Para o restante do funcionalismo, que foi incluído em uma escala diferente, os pagamentos continuam até dezembro, dependendo do valor do vencimento. O valor das parcelas, segundo escala já anunciada, sobre R$ 100 a partir deste mês.

Zema antecipou o pagamento somente para os servidores da segurança pública de forma preventiva, após eles fazerem um grande protesto na Cidade Administrativa e ameaçarem novos atos.

No fim de fevereiro, depois de o governo anunciar uma escala de 11 parcelas que incluía a categoria, policiais, bombeiros e outros servidores da segurança fecharam a MG 10 e queimaram um caixão na Cidade Administrativa. O governo ofereceu uma primeira antecipação para junho mas o movimento não arrefeceu. A categoria fez  reuniões e chegou a anunciar novas manifestações mas, diante de mais pressão, o governo acabou marcando para maio a quitação do benefício para eles.

Zema também alterou a escala geral dos servidores a pedido de representantes das categorias que tem salários mais baixos. Com isso, fixou valores de parcelas aumentando os pagamentos para quem tem o contracheque menor. O anúncio foi feito como uma antecipação de pagamento mas, embora isso tenha ocorrido para alguns, a mudança acabou adiando o recebimento de outros.

De acordo com a Secretaria de Estado da Fazenda, com as parcelas de maio, o governo já pagou R$ 1,014 bilhão em valor líquido e falta pagar R$ 1,293 bilhão para concluir os depósitos das demais categorias como educação, saúde e áreas administrativas.

Quitação só para segurança


A secretaria informou que nenhuma outra categoria teve a quitação do 13º até o momento e que não há previsão de antecipar o pagamento para outros funcionários. “O cronograma do parcelamento do 13º será mantido, considerando-se o cenário atual de déficit nas contas públicas. A nova administração herdou um rombo de R$ 34,5 bilhões nas contas pública”, informou.

Pela escala geral dos servidores, o governo de Minas está pagando parcelas fixas, que em fevereiro, março e abril foram de R$ 300, sempre no dia 21 ou no primeiro dia após esta data.

Neste mês e no próximo, o valor sobre para R$ 400, passando em julho para R$ 500 e agosto para R$ 600. Em setembro o pagamento será de R$ 800, em outubro de R$ 1,5 mil e em novembro de R$ 3 mil. Quem tem salários mais altos receberá o que ficar faltando em dezembro.

Confira os valores das parcelas para os próximos meses:

(foto: Divulgação Governo de Minas)
(foto: Divulgação Governo de Minas)


Publicidade