Publicidade

Estado de Minas

Temer diz que expectativa para próximos passos do processo é 'positiva'

Ex-presidente deixou a prisão no começo da tarde desta quarta-feira e falou rapidamente com os jornalistas na porta da casa dele, na capital paulista


postado em 15/05/2019 14:41 / atualizado em 15/05/2019 15:08

(foto: / AFP / Miguel SCHINCARIOL )
(foto: / AFP / Miguel SCHINCARIOL )

O ex-presidente Michel Temer (MDB), que deixou a prisão no começo da tarde desta quarta-feira, afirmou, ao chegar em sua casa, que a expectativa em relação às próximas fases do processo em que é acusado é “positiva”. O principal ponto que sustenta o otimismo no emedebista é a forma como se comportou em relação às decisões anteriores.

“Duas palavras que eu quero dar. A primeira é que eu me apresentaria à Polícia Federal. Foi o que eu fiz. Em segundo lugar, eu disse que aguardaria com toda a tranquilidade e serenidade a decisão do Superior Tribunal de Justiça que se deu no dia de ontem”, disse, em rápida fala com os jornalistas.


Na mesma linha, o advogado Eduardo Carnelós, que defende Temer, disse não haver razão para que Temer continuasse preso ou que tenha novo mandado de prisão expedido.

“A partir da decisão do STJ, fica estabelecido que não há nenhum motivo para manter o ex-presidente Michel Temer preso. Os votos foram bastante contundentes. mas todos no sentido de que não há justificativa para que o ex-presidente seja levado à prisão”, afirmou.


Carnelós ainda afirmou que espera que o Judiciário julgue Temer à luz dos fatos e não por convicção. “O juiz deve julgar os fatos que são trazidos de acordo com o direito. Quando o juiz para a ser um combatente ele deixa de ser (juiz). Ainda que ele possa pensar que o lado que ele adotou seja o mais correto, ele não pode fazer isso”, comentou.


Temer deixou a sede do Comando de Policiamento de Choque, da Polícia Militar, em São Paulo, às 13h27 desta quarta-feira, onde estava preso desde essa segunda-feira (13).


O habeas corpus ao emedebista foi concedido liminarmente na tarde de terça-feira (14) pelos quatro ministros que compõem a Sexta Turma do STJ.


A soltura imediata de Michel Temer e do coronel Lima – amigo do ex-presidente – foi determinada pela juiza da 7ª Vara Criminal do Rio de Janeiro, Caroline Vieira.


Ambos terão que entregar os passaportes à Justiça no prazo máximo de 24 horas.


Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade