Publicidade

Estado de Minas

Zema decide manter vagas de tempo integral em negociação pela reforma administrativa

Expectativa é que projeto que trata das mudanças no governo do estado seja votado ainda nesta terça-feira em primeiro turno


postado em 30/04/2019 15:27 / atualizado em 30/04/2019 15:53

(foto: Sarah Torres/ALMG )
(foto: Sarah Torres/ALMG )

Diante da pressão da oposição, o governo Romeu Zema (Novo) cedeu e vai manter as 110 mil vagas em escolas de tempo integral em todo o estado. O fim de 80 mil matrículas era um dos pontos de embate com o governo e emperrava a votação da reforma administrativa apresentada pelo Executivo em fevereiro


Os deputados aguardam para a tarde desta terça-feira o envio de uma mensagem do governador com a proposta que foi acertada com os blocos de oposição e independentes, que somam 36 deputados.


O texto prevê a manutenção imediata de 30 mil vagas, reabertura de mais 25 mil matrículas em agosto e 55 mil em fevereiro do ano que vem. Desta forma o governo garantiu as 110 mil cadeiras existentes em dezembro do ano passado.


A alegação do governo para os cortes era a redução das despesas. A escola integral tem um custo anual de R$ 350 milhões.


Foram convocadas três reuniões de plenário nesta terça-feira. A primeira delas, pela manhã, foi encerrada por falta de quórum. A expectativa é que a reforma seja aprovada em primeiro turno ainda hoje.

Um novo relatório será apresentado ao deputado João Magalhães (MDB) no plenário. A reunião desta tarde foi suspensa à espera do texto.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade