Publicidade

Estado de Minas

Bolsonaro envia porta-voz para tentar conter troca de farpas entre filho, guru e vice

Apesar da tentativa, presidente disse que sempre ficará do lado de seus filhos, ''em particular o Carlos''


postado em 23/04/2019 21:44 / atualizado em 23/04/2019 21:50

Porta-voz, general Otávio Rêgo Barros, foi enviado por Bolsonaro para tentar apaziguar a situação (foto: NBR/Divulgação)
Porta-voz, general Otávio Rêgo Barros, foi enviado por Bolsonaro para tentar apaziguar a situação (foto: NBR/Divulgação)

Em meio à briga entre Carlos Bolsonaro, Olavo de Carvalho e o vice-presidente da República, general Hamilton Mourão (PRTB), o presidente Jair Bolsonaro enviou seu porta-voz para tentar apaziguar a situação. Em menos de 24 horas, o filho do chefe do executivo fez cinco postagens em suas redes sociais criticando o general.

Em declaração à imprensa na noite desta terça-feira, o porta-voz da Presidência da República, general Otávio Rêgo Barros, disse que o presidente pretende colocar um “ponto final” na “pretensa discussão”. 

Apesar da declaração, o porta-voz ressaltou que Jair Bolsonaro sempre estará ao lado de seus filhos. “De uma vez por todas o presidente gostaria de deixar claro o seguinte: quanto a seus filhos, em particular ao Carlos, o presidente enfatiza que ele sempre estará a seu lado. O filho foi um dos grandes responsáveis pela vitória nas urnas, contra tudo e contra todos”, disse o porta-voz.

Bolsonaro ainda teria chamado o 02, como Carlos é apelidado pelo pai, de “sangue do meu sangue”. Por outro lado, o presidente também destacou a importância do vice-presidente no governo. De acordo com Rêgo Barros, Mourão topou o desafio das eleições e “terá a consideração e o apreço do senhor presidente”.

Além disso, sem citar o nome de Olavo de Carvalho - que tem grande influência no governo -, o porta-voz disse que o presidente considera que quaisquer outras contribuições com o governo para mudanças no Brasil “serão muito bem-vindas”. 

No entanto, como forma de não tomar lado na briga, Bolsonaro pai teria dito que as declarações publicadas em redes sociais são de exclusiva responsabilidade de quem as emite. Nessa segunda-feira, o Planalto já tinha emitido uma nota em que o presidente repudiava as falas críticas de Carvalho, argumentando que as falas dos escritor não contribuem para os esforços do governo.   

No sábado, Jair Bolsonaro publicou um vídeo, em sua conta no Youtube, em que Olavo de Carvalho fazia várias críticas ao exército e à base aliada do presidente. Após repercussão, o presidente apagou o vídeo.

Em entrevista na segunda-feira, Mourão disse não acreditar que Bolsonaro não sabia do conteúdo do vídeo. 

Troca de Farpas

Durante toda esta terça-feira, Carlos Bolsonaro e Olavo de Carvalho publicaram críticas ao vice-presidente. Em uma das ocasiões, o pensador chegou a juntar várias notícias citando Mourão. “Mourão elogia Chico Mendes”, “Presidente da CUT se reúne com Mourão e critica reforma da Previdência”, “Mourão critica 'despetização' de Onyx”, “Mourão curte postagem crítica a Bolsonaro”, entre outras notícias com o militar.

Carlos Bolsonaro também não se limitou nas postagens. Até às 21h30, o filho do presidente já havia feito cinco tweets criticando Mourão diretamente. Na última, ele relembrou uma declaração do general ainda em época de campanha eleitoral. 

Na ocasião, Mourão repudiou as filmagens de Bolsonaro em cima da cama do Hospital Albert Einstein após sofrer uma facada enquanto fazia ato político em Juiz de Fora. 

"Esse troço já deu o que tinha que dar. É uma exposição que eu julgo que já cumpriu sua tarefa. Ele [Bolsonaro] vai gravar vídeo do hospital, mas não naquela situação, não propaganda. Vamos acabar com a vitimização, chega", afirmou Mourão na época.
 
* Estagiário sob supervisão da editora Liliane Corrêa 


Publicidade