Publicidade

Estado de Minas

Kalil diz que está 'mais ou menos acertada' filiação ao PSD

O PHS, legenda pela qual foi eleito, vai deixar de existir assim que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) julgar processo que pede a fusão com o Podemos


postado em 15/04/2019 17:52 / atualizado em 15/04/2019 18:05

Alexandre Kalil disse que ainda está
Alexandre Kalil disse que ainda está "pensando" sobre candidatura à reeleição (foto: Alexandre Guzanche/EM/D.A Press)

O prefeito de Belo Horizonte Alexandre Kalil deverá trocar o PHS pelo PSD nos próximos dias. O partido que o elegeu está prestes a deixar de existir, aguardando apenas que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) julgue o pedido de incorporação com o Podemos. O político informou nesta segunda-feira que está “mais ou menos acertada” a ida para a legenda. Questionado se vai disputar a reeleição no ano que vem, disse que “está pensando”.

Em dezembro do ano passado, o presidente nacional do PSD, Gilberto Kassab, chegou a se reunir com Kalil em Belo Horizonte e o convidou para filiar-se à legenda.

Na ocasião, o então senador eleito Carlos Viana, aliado do prefeito, anunciou que migraria do PHS para o PSD antes mesmo do fim do partido que o elegeu.

Ao não atingir a cláusula de barreira, o PHS ficou de fora do horário gratuito no rádio e televisão e de fora da divisão do fundo partidário. Assim que o PHS deixar de existir, todos os filiados migrarão automaticamente para o Podemos. Quem não quiser continuar na legenda poderá entrar com um pedido de troca de partido por justa causa.

Embora a fusão ainda esteja na pauta do TSE, na Câmara dos Deputados, por exemplo, a bancada do Podemos e PHS é considerada uma só. Em despacho, o presidente Rodrigo Maia (DEM) aceitou incorporar as legendas “exclusivamente para fins de cálculo da proporcionalidade partidária e da definição de atendimento ou não à cláusula de desempenho”.

Na prática, significa que os partidos "incorporados" continuam existindo, permanecendo as bancadas eleitas. No caso, o Podemos (11) incorporou o PHS (6), somando um bloco de 17 deputados.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade