Publicidade

Estado de Minas

Viagem de Bolsonaro aos EUA trouxe poucos resultados concretos

A avaliação é de Wagner Parente, conselheiro e CEO da BMJ Consultores Associados


postado em 20/03/2019 06:00 / atualizado em 20/03/2019 07:36

Presidentes Bolsonaro e Trump no salão Oval da Casa Branca. Sentado, à esquerda, o filho do presidente, deputado Eduardo Bolsonaro(foto: Isac Nóbrega/PR)
Presidentes Bolsonaro e Trump no salão Oval da Casa Branca. Sentado, à esquerda, o filho do presidente, deputado Eduardo Bolsonaro (foto: Isac Nóbrega/PR)

Brasília - A visita do presidente Jair Bolsonaro aos Estados Unidos teve poucos resultados concretos nas áreas econômica e comercial e serviu mais para comprovar os posicionamentos político e ideológico do governo, avaliou Wagner Parente, conselheiro e CEO da BMJ Consultores Associados, em entrevista ao programa CB.Poder, parceria entre o Correio Braziliense e a TV Brasília. Para o especialista em relações internacionais, do ponto de vista econômico, havia uma expectativa maior em relação à viagem, o que não se concretizou.

Esperava-se, por exemplo, uma declaração mais forte sobre a entrada do Brasil na Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), mas ela ficou condicionada ao fim do tratamento especial na Organização Mundial do Comércio (OMC), o que é “muito grave”, na avaliação de Parente. Também era esperado um posicionamento mais positivo em relação à retomada importação de carne bovina brasileira in natura.

Na avaliação de Parente, é preciso analisar a estratégia do governo na viagem. “É difícil avaliar se estamos dando demais sem entender, de fato, o que temos a ganhar no médio prazo”, comentou. Ele lembrou que a Argentina atende a quase 86% da demanda brasileira por trigo e abrir esse mercado aos EUA pode gerar um conflito interno no Mercosul. Do ponto de vista militar, concessões como o acordo de Alcântara e a parceria com a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) estão no saldo positivo da viagem, segundo o analista.

* Estagiária sob a supervisão de Leonardo Meireles


Publicidade