Publicidade

Estado de Minas

Equipe de transição de Romeu Zema já tem adesão de 1.200 profissionais voluntários

Pessoas se ofereceram espontaneamente para atuar no diagnóstico de 17 áreas e na estruturação da próxima gestão


postado em 11/11/2018 06:00 / atualizado em 11/11/2018 08:20

(foto: Edésio Ferreira/EM/D.A Press)
(foto: Edésio Ferreira/EM/D.A Press)
Cerca de 1.200 profissionais, com experiência em diversas áreas do conhecimento, já se apresentaram como voluntários para atuar em apoio à equipe de transição do governo Romeu Zema (Novo), na pesquisa e diagnóstico de 17 áreas temáticas do estado que serão coordenadas pelos futuros secretários de Estado. As inscrições foram abertas na semana passada e o prazo se encerrará neste 14 de novembro. Como Zema pretende fundir pastas para a redução da estrutura administrativa do estado de 21 para 9 secretarias, os futuros secretários vão coordenar e atuar em mais de uma área temática.

“Temos tido uma pronta resposta, são muitas pessoas com experiência na área pública e de gestão, em princípio disponíveis para nos auxiliar no diagnóstico de 17 áreas do estado”, disse ontem Rodrigo Paiva, engenheiro civil, mestre pelo Massachusetts Instituto of Technology (MIT), responsável na transição pelo recrutamento do voluntariado das equipes de base. “À medida em que o governador eleito Romeu Zema for indicando os novos secretários, eles assumirão a coordenação dessas áreas técnicas, que de certa forma já estarão estruturadas com os voluntários selecionados”, afirmou Paiva.

Na prática, a seleção da equipe de trabalho se dá simultaneamente em duas pontas. Para a escolha do time de primeiro escalão de seu governo – secretários, secretários adjuntos e diretores de empresas públicas –, Romeu Zema acionou o serviço de empresas especializadas em recursos humanos que estão igualmente auxiliando de forma voluntária. A expectativa é de que os primeiros indicados sejam anunciados nesta semana. Por outro lado, Rodrigo Paiva estrutura as equipes técnicas de voluntários em 17 áreas, que estarão sob a coordenação dos futuros secretários.

Seleção
As 17 áreas em que estão sendo recrutados profissionais voluntários, com experiência são: agronegócio, assistência social, ciência e tecnologia, comunicação, cultura, direito, economia e finanças, educação, energia, ensino superior, esportes, inovação, meio ambiente, saúde, segurança pública, tecnologia da informação e turismo. “A partir dos voluntários que se apresentaram, selecionamos os líderes que serão responsáveis por concluir o recrutamento dentro de cada área”, explicou Rodrigo Paiva. Para a equipe de saúde, o médico José Carlos Lassi vai ser o encarregado da seleção dos voluntários que vão atuar na base auxiliando no diagnóstico da área.

Encarregada de realizar o diagnóstico da situação financeira, da estrutura de pessoal, além das metas, dos programas prioritários das áreas de atuação do estado, a equipe de transição de Romeu Zema, coordenada pelo vereador Mateus Simões (Novo), se reuniu pela primeira vez na sexta-feira com a transição de Fernando Pimentel (PT), composta pelos secretários da Fazenda, José Afonso Bicalho, do Planejamento Helvécio Magalhães, de Governo Odair Cunha e Marco Antônio Rezende da Casa Civil. Amanhã, o grupo de transição indicado por Zema, que tem além de Simões e Paiva, o economista Victor Cezarini, o empresário Victor Garizo Becho e as advogadas Luciana Lopes e Simone Deoud Siqueira, inicia a rotina de trabalhos na Cidade Administrativa.

Prazo
De acordo com Mateus Simões, esse diagnóstico inicial do estado precisa ser concluído até o fim deste mês, para que, em dezembro, se processem as discussões temáticas com cada secretaria, o que ocorrerá já com a presença dos futuros secretários de estado. A situação fiscal do estado é crítica: o déficit previsto nos projetos de lei do Executivo que tratam do Orçamento do Estado para 2019 é de R$ 11,44 bilhões, portanto, 41,5% maior que do que os R$ 8,08 bi estimados para 2018. Além disso, a equipe de Zema foi informada que não há ainda calendário definido para pagamento do décimo terceiro salário do funcionalismo.


A transição de Romeu Zema também vai acompanhar a discussão e aprovação na Assembleia Legislativa da Lei Orçamentária de 2019. As eventuais intervenções e emendas serão apresentadas ao governo de Fernando Pimentel, que se comprometeu a encaminhar, de forma institucional, à presidência da Assembleia, as propostas do futuro governo.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade