Publicidade

Estado de Minas POLÍTICA

Apuração/MS: Reinaldo Azambuja lidera disputa com 58,16% das urnas apuradas


postado em 28/10/2018 18:44

O candidato do PSDB, Reinaldo Azambuja, lidera a disputa no Mato Grosso do Sul. Com 58,16% das urnas apuradas, Azambuja tem 52,76% dos votos. O segundo colocado, Juiz Odilon (PDT), tem 47,24%. Votos brancos somam 2,56% e nulos, 7,89%;

Afirmando ter enfrentado medidas impopulares durante seu governo e ataques do adversário, o governador e candidato à reeleição ao governo de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB), votou nesta manhã na Escola Estadual Lúcia Martins Coelho, em Campo Grande (MS). Acompanhado da esposa e de dois dos três filhos, o governador afirmou que ao contrário do que afirmou o juiz Odilon de Oliveira (PDT) durante a campanha, o Estado avançou em várias áreas e está crescendo, apesar da crise econômica. "Os debates posicionaram o eleitor do conteúdo de cada uma das candidaturas, enquanto a tônica do adversário foi atacar que tudo estava ruim em Mato Grosso do Sul, nós mostramos os avanços e os desafios que ainda temos", pontuou.

Depois de obter 49% das intenções de voto em pesquisa do Ibope na última semana, o juiz aposentado Odilon de Oliveira (PDT) acredita na vitória sobre o atual governador Reinaldo Azambuja (PSDB), candidato à reeleição, que teve 51% das intenções de voto no último levantamento. Ele votou na manhã deste domingo na Escola Padrão, em Campo Grande (MS).

Acompanhado da esposa e do filho durante a votação, o juiz aposentado também criticou as notícias falsas disseminadas durante a campanha, sendo a mais recente, que seu filho, o advogado Odilon de Oliveira Júnior, teria sido preso pela Polícia Federal. "É uma mentira deslavada. Já foram tomadas medidas na PF e no Tribunal Regional Eleitoral", afirmou.

Odilon voltou ainda a dizer que fez uma campanha modesta se comparada com a de seu adversário e que "enfrentamos uma máquina administrativa muito pesada, enfrentamos muitos ataques injustos, enfrentamos muitas fake news e isso prejudicou o andamento, o crescimento maior da preferência do eleitorado em favor da minha pessoa", pontuou.

Até a manhã deste domingo, 62 urnas eletrônicas apresentaram problemas em Mato Grosso do Sul. Segundo o Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MS), desse total, 34 passaram por ajustes, sendo 10 na Capital, Campo Grande. Outras 28 foram substituídas e destas, oito foram na Capital. Entre os defeitos que foram reparados nos equipamentos, estão ajustes de data e hora, trocas de impressora, bobina, tomadas e baterias. "Todos os problemas foram resolvidos com o apoio do técnico de urna", disse o TRE em nota.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade