Publicidade

Estado de Minas

Eleito senador, Rodrigo Pacheco sinaliza apoio a Bolsonaro na disputa presidencial

De acordo com Pacheco, apoiar o PT no segundo turno está fora de cogitação. Ele ainda ressaltou a derrota de Pimentel e Dilma em Minas


postado em 07/10/2018 23:23 / atualizado em 07/10/2018 23:29

"Seria muito anti-natural qualquer apoio ao PT", afirmou Pacheco (foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A.Press)
Assim que foi eleito na chapa do candidato ao governo Antonio Anastasia (PSDB), o deputado federal Rodrigo Pacheco (DEM) sinalizou, na noite deste domingo, apoio ao presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) no segundo turno das eleições. Ele acompanhou Anastasia em pronunciamento no comitê de campanha depois do resultado do primeiro turno e prometeu empenho absoluto a favor do tucano na eleição para o governo de Minas.

Assim como Anastasia, o senador eleito Rodrigo Pacheco fez questão de destacar a derrota do governador Fernando Pimentel e da ex-presidente Dilma Rousseff no primeiro turno. Segundo ele, o povo disse “um não maiúsculo” ao PT. Pacheco agradeceu a eleição aos prefeitos mineiros, “que estão sem receber recursos” e aos servidores públicos, “com salários parcelados”.

“Esse resultado indica um não ao governo do PT e coloca dois nomes que representam essa antítese”, afirmou. Diante do resultado nas urnas, Pacheco afirmou que não vê qualquer probabilidade de apoiar o PT. O senador eleito afirmou que, como presidente do DEM em Minas, vai discutir com o partido, mas adiantou a possibilidade de apoiar Bolsonaro nacionalmente como um “prenúncio” de “algo natural”. 

Pacheco disse ter dificuldade de ficar neutro e adiantou que vai cobrar de Bolsonaro compromissos com Minas Gerais para poder confirmar o apoio. Segundo Pacheco, o apoio no segundo turno será uma escolha de dificuldade, já que os dois presidenciáveis – Bolsonaro e Fernando Haddad (PT) – contam com alta rejeição. “Mas seria muito anti-natural qualquer apoio ao PT. O PT foi o grande derrotado nas eleições”, disse.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade