Publicidade

Estado de Minas POLÍTICA

Aécio Neves é hostilizado por eleitores ao votar em BH e diz que jamais apoiará PT no segundo turno

Candidato a uma vaga na Câmara dos Deputados, senador se manteve calmo e disse que manifestações fazem parte a democracia


postado em 07/10/2018 16:49 / atualizado em 07/10/2018 17:15

Eleitor arremessou garrafa plástica em Aécio Neves durante saída do Colégio Estadual Central(foto: Leandro Couri/EM D.A Press)
Eleitor arremessou garrafa plástica em Aécio Neves durante saída do Colégio Estadual Central (foto: Leandro Couri/EM D.A Press)
O senador Aécio Neves, candidato a deputado federal em Minas Gerais pelo PSDB, foi hostilizado por eleitores ao se dirigir para votar no Colégio Estadual Central, no Bairro de Lourdes, Região Centro-Sul de Belo Horizonte. Assim que chegou ao local, por volta das 16h20 deste domingo, o senador e ex-governador do estado ouviu vaias e insultos, como “ladrão", "traidor" e "golpista”. As pessoas ainda cantaram uma marchinha de carnaval ironizando o tucano, que permaneceu no local por aproximadamente cinco minutos.

Um homem que estava próximo ao candidato gritou. “Quem diria, hein Aécio? Passar por isso! Que humilhação!”. Uma mulher bradou: "Safado, golpista!" Apesar dos xingamentos, Aécio se manteve calmo e em momento algum ameaçou entrar em discussão com os eleitores.

Assim que concluiu o voto e deixou a seção eleitoral, Aécio Neves foi atingido por uma garrafa de água, que estava vazia, além de ser chamado novamente de “golpista”. Perguntado sobre a recepção negativa, o candidato disse que as manifestações fazem parte da democracia. Ele também ressaltou que a disputa presidencial de 2014 foi “corrompida” com base nas delações do coordenador de campanha de Dilma Rousseff (PT), Antonio Palocci.

Aécio Neves ainda se posicionou sobre um possível segundo turno entre os presidenciáveis Jair Boslonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT). Apesar de não declarar abertamente o voto no líder das pesquisas, o ex-governador de Minas afirmou que jamais apoiaria o Partido dos Trabalhadores.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade