Publicidade

Estado de Minas POLÍTICA

Para Alckmin, mudanças não serão feitas com ódio, nem com populismo

Segundo o tucano, a eleição deste ano é uma das mais importantes das últimas décadas e representa um momento decisivo para o Brasil


postado em 06/10/2018 16:10 / atualizado em 06/10/2018 16:44

(foto: AFP / NELSON ALMEIDA )
(foto: AFP / NELSON ALMEIDA )

O candidato do PSDB à Presidência, Geraldo Alckmin, usou sua conta no Twitter para enviar um recado em vídeo aos internautas em defesa de mudanças sem extremismo para o País. "O Brasil tem pressa, mas as mudanças não serão feitas com ódio, nem com autoritarismo e nem com populismo", disse na publicação feita há pouco. "É por meio do voto que seremos fortes de novo", acrescentou.

Segundo o tucano, a eleição deste ano é uma das mais importantes das últimas décadas e representa um momento decisivo para o Brasil. "Não se trata apenas da escolha de um presidente. Se trata da escolha sobre o que queremos para o futuro, quais valores queremos propagar", afirmou. Alckmin ainda destacou que o brasileiro não é intolerante e a essência do povo não está atrelada ao ódio, mas sim a adjetivos como "generosidade" e "sensibilidade".

A fala do presidenciável pelo PSDB tem o mesmo tom usado mais cedo por seu concorrente, Ciro Gomes (PDT), também no Twitter. Os comentários de ambos enfatizam o combate à disseminação do ódio e ressaltam que o cenário ideal para mudanças no País não está na polarização. Em sua publicação, Ciro foi mais direto e chegou a dizer que Jair Bolsonaro (PSL) está usando a raiva que parte do eleitorado tem contra o PT para alimentar o ódio na população.

Tanto Alckmin quanto Ciro procuram uma lacuna que os leve ao segundo turno. Bolsonaro segue na liderança das pesquisas de intenção de voto para a Presidência e Fernando Haddad (PT) está na segunda posição.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade