Publicidade

Estado de Minas

Anastasia diz que MG vive sua pior situação em 300 anos; veja vídeo

O senador tucano deu entrevista ao Portal Uai e ao Estado de Minas na tarde desta sexta-feira e rebateu Pimentel sobre a crise financeira


postado em 14/09/2018 15:48 / atualizado em 14/09/2018 18:37

Anastasia falou sobre a crise financeira do estado e respondeu perguntas de internautas(foto: Sidney Lopes/EM/D.A Press)
Anastasia falou sobre a crise financeira do estado e respondeu perguntas de internautas (foto: Sidney Lopes/EM/D.A Press)

O senador Antonio Anastasia (PSDB) afirmou em entrevista ao Estado de Minas e Portal Uai, na tarde desta sexta-feira (14), que o estado vive sua pior situação em 300 anos. O tucano rebateu o governador Fernando Pimentel (PT), que no dia anterior, também ao participar da série de entrevistas, havia negado que o estado estivesse vivendo uma situação de colapso.

“Pode perguntar aos servidores, aos fornecedores do estado. O estado está em colapso sim, um estado que é objeto de uma humilhação como a que vi, de ter carros recolhidos porque não pagou, que dá um calote como o que está dando nas prefeituras. O estado não está pagando a cota constitucional e as prefeituras estão entrando em colapso. A situação de Minas é a pior situação da história do estado em 300 anos”, disse.

Anastasia afirmou que o estado está inadimplente e que na raiz de todos os problemas nas áreas de educação, saúde, segurança e infraestrutura, está “o caos que o atual governo diz que não existe”.

Segundo o senador tucano, Minas enfrenta uma bancarrota. “A situação é caótica e o governo é um governo reclamãp, que se contenta em lamentar, mas não enfrenta a realidade, não enfrenta a crise”, disse.

Na entrevista, o candidato do PSDB também disse que, se eleito, vai cortar gastos e reduzir a estrutura administrativa do estado. “Haverá um trabalho para reduzir radicalmente a estrutura do estado. Vamos cortar não só a carne e na gordura, vamos cortar o tutano”, afirmou.

 

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade