Publicidade

Estado de Minas POLÍTICA

Em terceiro bloco do debate, candidatos voltam a temas de suas zonas de conforto


postado em 09/09/2018 19:57

Ao longo do terceiro bloco do debate Estadão/TV Gazeta/Jovem Pan/Twitter os candidatos voltaram a mencionar temas com os quais têm familiaridade. Alvaro Dias (Podemos) fez uma pergunta sobre corrupção e defendeu a refundação da República, tema recorrente no seu discurso. Também criticou lideranças políticas que "alimentam a violência". Ele acabou tendo de responder a uma questão sobre privilégios de membros do Poder Judiciário.

"Com a minha experiência, que poderia acumular aposentadorias e abri mão delas, é que repito que nós precisamos começar pelo andar de cima", disse. Guilherme Boulos (PSOL) criticou privilégios, os banqueiros e os "moralistas sem moral" do poder judiciário.

Ciro Gomes (PDT) voltou a usar a questão do endividamento de pessoas físicas. Para ele, "gente desmoralizada no crediário" também é um risco à democracia. Henrique Meirelles (MDB) perguntou e respondeu questões referentes à economia, enquanto Geraldo Alckmin (PSDB) falou de segurança pública.

Marina Silva (Rede), por sua vez, falou sobre a necessidade de melhoria da saúde pública e sobre a questão da regularização fundiária.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade