Publicidade

Estado de Minas

Homem que atacou Bolsonaro foi filiado ao Psol por 7 anos; partido pede punição

''Configura um grave atentado à normalidade democrática e ao processo eleitoral'', diz partido


postado em 06/09/2018 20:23 / atualizado em 06/09/2018 23:26

(foto: Reprodução/WhatsApp)
(foto: Reprodução/WhatsApp)
Adelio Bispo de Oliveira, que esfaqueou o candidato à Presidência Jair Bolsonaro (PSL) nesta quinta-feira (6), em Juiz de Fora foi filiado ao Psol, entre maio de 2007 e dezembro de 2014. Tanto o partido quando o TSE confiram a informação, mas a família de Adelio nega que ele já tenha tido filiação partidária.  

Em nota, o Psol de Minas Gerais afirmou que "após sua desfiliação, nenhum militante ou filiado do partido teve qualquer contato ou associação" com o criminoso e que suas "ações e intenções após 2014 de total desconhecimento do Psol"

A Executiva Nacional do partido repudiou, em nota, o atentado sofrido pelo militar e cobrou que as autoridades apliquem as “medidas cabíveis contra o autor”. “Configura um grave atentado à normalidade democrática e ao processo eleitoral”, diz a nota.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade