Publicidade

Estado de Minas POLÍTICA

Visita de Bolsonaro causa tumulto a hospital em MG e atrapalha entrada de idosos


postado em 06/09/2018 14:07

A visita do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) causou tumulto ao hospital filantrópico da Associação Feminina de Prevenção e Combate ao Câncer de Juiz de Fora (Ascomcer), na manhã desta quinta-feira, 6, em Minas Gerais. Pacientes idosos tiveram dificuldade de entrar no hospital, devido a um cordão de isolamento feito por integrantes de um movimento de direita da cidade. Vestidos de preto, eles diziam ser policiais e que faziam "segurança voluntária" do candidato.

Uma senhora que acompanhava o marido em uma sessão de quimioterapia chegou a chorar e dizer que campanha política não era para ser feita dentro hospital. A filha dela chegou a discutir com estes "seguranças".

Os integrantes do movimento de direita da cidade usavam ternos e blusas pretas e uma fita amarela. Minutos depois, o grupo também seguiu com o candidato para um almoço em um hotel com empresários.

Estes homens fizeram um cordão de isolamento barrando a entrada de empresários e até do presidente do PSL, Gustavo Bebianno.

O dirigente do partido discutiu com alguns integrantes do grupo e chegou a mandar "tirar a mão" que estava apontada para ele. Em seguida, policiais da escolta de Bolsonaro também discutiram com o grupo e mandaram todos saírem de perto do candidato.

Um dos homens de preto abordou a reportagem do jornal O Estado de S. Paulo e disse que a imprensa "não tinha autorização para filmar no local".

Não houve caravanas de eleitores no local seguindo o candidato, como costumam ter em agendas de Bolsonaro.

A assessoria da Associação Comercial e Empresarial de Juiz de Fora informou que não autorizou a entrada do grupo e que uma das mulheres da equipe também foi empurrada por eles ao tentar entrar no evento.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade