Publicidade

Estado de Minas

Temer rebate críticas de Alckmin e diz: 'fale a verdade'

Após a campanha do presidenciável tucano Geraldo Alckmin usar a maior parte de suas inserções para atacar Bolsonaro (PSL), novos comerciais apontam a presidente cassada Dilma Rousseff (PT) e o presidente Michel Temer (MDB) como responsáveis pela crise


postado em 05/09/2018 22:34 / atualizado em 07/09/2018 13:38

O presidente Michel Temer usou as redes sociais na noite desta quarta-feira para fazer duras críticas a Geraldo Alckmin, candidato à presidência da República pelo PSDB. Temer rebateu aquilo que chamou de 'falsidades' da campanha eleitoral do tucano e ressaltou que parte de sua base apoia Alckmin nestas eleições.
 
Em vídeo postado em sua  página oficial no Twitter, Temer disse: "o meu ministro da Educação é o Mendonça Filho (DEM), um partido que apoia a sua candidatura. Você fala mal da saúde, que melhorou muito em nosso governo. Este ministério está com o PP, outro que apoia o seu nome para presidente. Ou seja, você critica indevidamente". 
 
Além disso, o presidente citou outros nomes que estão no governo e que agora são base de apoio ao PSDB. Por fim, Temer disse: "Você era diferente, não atenda aos seus marqueteiros, atenda apenas a verdade". 
 
O presidente citou nomes que estão no governo e que agora são base de apoio ao PSDB(foto: Reprodução/Twitter )
O presidente citou nomes que estão no governo e que agora são base de apoio ao PSDB (foto: Reprodução/Twitter )
 
 

Campanha eleitoral

 
Conforme o em.com.br informou na terça-feira, após a campanha do presidenciável tucano Geraldo Alckmin usar a maior parte de suas inserções para atacar o deputado Jair Bolsonaro (PSL) na estreia do horário eleitoral de rádio e TV, sexta-feira passada, novos comerciais apontam a presidente cassada Dilma Rousseff (PT) e o presidente Michel Temer (MDB) como responsáveis pela crise que o Brasil atravessa em diversas áreas. A ideia é associar Dilma a Temer.
 
O candidato do PSL continua como alvo principal em metade das propagandas - são 12 ao longo do dia. Os ataques mais duros são no rádio. Mas um quarto dos comerciais de TV que começarão a ser veiculados a partir de hoje usam o mote "O Brasil de Dilma e Temer é assim" ao mostrar dados sobre violência, educação e segurança pública.
 
Desde o início da campanha presidencial, Alckmin vem sendo criticado pelos adversários por ter firmado uma aliança com os partidos do Centrão que formam a base de sustentação de Temer no Congresso.
 
Com informações de Estadão Conteúdo 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade