Publicidade

Estado de Minas FALTA PAGAR APOSENTADOS

Após novo protesto, governo de MG diz que pagou servidores da ativa

O grupo cruzou os braços por volta das 10h e passou a exigir, com gritos e apitos, o pagamento da terceira parcela de agosto


postado em 03/09/2018 12:49 / atualizado em 03/09/2018 13:32

Os servidores cobraram mais uma vez o pagamento do restante do salário de agosto, relativo ao mês trabalhado em julho(foto: Divulgação)
Os servidores cobraram mais uma vez o pagamento do restante do salário de agosto, relativo ao mês trabalhado em julho (foto: Divulgação)

Com a virada do mês de agosto para setembro sem o pagamento da terceira parcela dos salários do funcionalismo, servidores fizeram novo protesto nesta segunda-feira (3) na Cidade Administrativa. O grupo ocupou, pela manhã, o sétimo andar do prédio Gerais, onde ficam as secretarias da Fazenda e de Planejamento e Gestão, e o vão livre.

 

A Secretaria de Estado de Fazenda informou que os valores correspondentes à 3º  parcela dos servidores da ativa foram depositados no início da tarde desta segunda-feira (3). De acordo com a nota, a "expectativa é que os servidores inativos recebam ao longo desta terça-feira (4/9)".

“O secretário, cadê você? Eu vim aqui para receber”, gritaram os servidores no protesto da manhã, com o auxílio de palmas e apitos. O pagamento da última parcela de agosto, relativa ao mês trabalhado em julho, deveria ter sido feito no dia 31, segundo escala divulgada no início do mês.

Segundo a diretora do Sindicato dos Servidores da Saúde (SindSaúde), Núbia Dias, apesar do protesto, o governo não atendeu os trabalhadores. “Não deram nenhuma notícia, é um absurdo o descaso que tem ocorrido, temos servidores com nome no SPC, sem dinheiro para pagar gás e luz. O fim do parcelamento tem que chegar, não dá mais para administrar o atraso do atraso todo mês”, afirmou.

Aviso de atraso

O grupo já havia cruzado os braços e feito atos nas secretarias e nos jardins da sede do governo mineiro na quarta-feira passada (29/9), quando o estado atrasou o pagamento da segunda parcela dos salários de agosto. Naquele dia, o governo alegou novos problemas no fluxo de caixa e avisou que a terceira parcela iria atrasar.

“Em função dos déficits financeiros acumulados e, consequentemente, por uma questão de fluxo de caixa do Tesouro Estadual, a terceira e última parcela será paga na próxima semana”, informou o Executivo, sem fixar uma nova data.
Os servidores da Saúde fizeram atos em outros locais, como Funed (foto: SindSaúde / Divulgação)
Os servidores da Saúde fizeram atos em outros locais, como Funed (foto: SindSaúde / Divulgação)

Na última quinta-feira, a Secretaria de Estado de Fazenda informou ter quitado a segunda parcela de aposentados e pensionistas para 100% dos servidores (ativos e inativos), porém continuou sem dar uma data para o restante do pagamento.

Saúde

O protesto de hoje foi organizado principalmente pelos servidores da saúde, que também fizeram atos na Escola de Saúde Pública e na Fundação Ezequiel Dias. Segundo o diretor do SindSaúde, Renato Barros, os servidores da categoria farão um novo protesto unificado na Cidade Administrativa na quarta-feira (5), às 10h. Estão previstos representantes das 28 regionais do estado.

“Não saiu a terceira parcela e o nível de insatisfação é grande. Precisamos também de uma definição do pagamento e setembro, a única sinalização que tivemos foi que a comissão criada pelo governo vai se reunir na quinta-feira, mas o pessoal quer certeza da escala, também queremos isonomia de tratamento, não dá para um receber em um formato e outros em outro”, disse Renato Barros.

Os salários dos servidores mineiros estão sendo pagos de forma escalonada desde fevereiro de 2016. A partir de julho deste ano, o governo reduziu o valor das duas primeiras parcelas de R$ 3 mil para R$ 1,5 mil para os funcionários da educação e demais categorias, mantendo os R$ 3 mil somente para os servidores da segurança e Fundação Hospitalar (Fhemig).

O governo de Minas alegou que a terceira parcela é destinada a 13% dos servidores do Executivo Estadual e que, 'portanto, os outros 87% já receberam os seus respectivos salários'.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade