Publicidade

Estado de Minas

Marina Silva muda panorama de entrevistas e diz a Bonner: 'Eu expliquei, mas parece que você continua com dúvidas'

Ao ser entrevistada no Jornal Nacional, candidata da Rede à Presidência desconcertou o apresentador


postado em 30/08/2018 21:30 / atualizado em 30/08/2018 22:51

"Parece que você continua com dúvidas": Marina manteve assunto mesmo com tentativa de mudança de Bonner (foto: Reprodução da Internet/TV Globo )
Candidata da Rede à Presidência da República, Marina Silva conseguiu fazer um contraponto durante entrevista com William Bonner e Renata Vasconcellos, no Jornal Nacional. Ela reagiu depois que Bonner insistiu em cobrar a posição da candidata sobre a reforma da Previdência: “Eu expliquei, mas parece que você continua com dúvidas”. O contraponto veio quando Bonner e Renata indagaram Marina se, com o amadurecimento na política, ela teria mais ações e propostas e não tantas dúvidas. Os apresentadores citaram o plano de governo da candidata, perguntando sobre detalhes específicos no conjunto abrangente de diretrizes da campanha.

Marina alegou que a abrangência é necessidade de debates. Segundo ela, é preciso ouvir todos os lados envolvidos na questão. No caso da reforma da Previdência, empresários, trabalhadores e especialistas.

“O problema da idade mínima, vamos manter a diferença entre homens e mulheres. A UFMG fez um estudo que aponta que 80% das atividades domésticas são feitas por mulheres. Enquanto tivermos uma cultura de mulheres trabalhando com sobrecarga, elas têm que se aposentar mais cedo”, concluiu.

“A Previdência não pode permitir que no Executivo você tenha aposentadorias muito altas, no Legislativo, no Judiciário, comparada à iniciativa privada, que é em torno de R$ 1.500. Isso são diretrizes gerais. O governo Temer, sem debater, discutindo apenas com um lado, disse que ia fazer e não fez”, complementou.

William e Renata seguiram tentando extrair da candidata uma resposta certeira e questionaram a idade mínima para os aposentados. Marina chegou perto, dizendo que vai propor a manutenção da diferença entre homens e mulheres e diminuir a aposentadoria no poder público.

Ao fim da explicação de Marina, Bonner deixou de lado as tentativas. “Candidata, a respeito de reforma previdenciária e da idade mínima, ficou claro aqui que os eleitores só vão saber das idades mínimas que a senhora pretende propor depois da senhora eleita.” Nesse momento, a candidata não aceitou a mudança e prosseguiu no tema.

[Marina] Mas vou debater, tenho o compromisso de debater. Isso é importante.

[Bonner] Deixa eu só voltar, eu queria voltar.

[Marina] Não, olha só, presta atenção, vamos lá.

[Bonner] Mas é que a gente vai deixar de abordar outros temas importantes para a senhora e para os eleitores.

[Marina] Mas, veja bem, você acabou de dizer que meus eleitores…

[Bonner] Você explicou.

[Marina] Expliquei, mas parece que você continua com dúvidas. Eu quero dizer…

[Bonner] Não ficou dúvida, não.

[Marina] A Dilma e o Temer não apresentaram nada. Não têm legitimidade, não têm credibilidade. Jogaram um pacote na cabeça do povo brasileiro, discutindo só com empresários. Eu estou dizendo, quem votar em mim sabe que eu vou ouvir especialistas, empresários e trabalhadores para poder fazer algo que é importante, a reforma da Previdência.

Em outros dois momentos da entrevista, Marina Silva chegou a também manter o assunto. Já em outros, acatou as mudanças. “Pode falar”, disse a Renata a certa altura. “É que eles, às vezes, não entendem. O que não é o seu caso”, se referindo a William Bonner.

Mais tarde, ela concedeu entrevista a Globo News, sobre seu programa de governo e afirmou não ser possível aumentar os gastos públicos do país, sendo necessário “sacrifício de todos”. “Ministério Público, Legislativo, Judiciário”, citou. Marina classificou a educação brasileira como “no fundo do fundo do poço”.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade