Publicidade

Estado de Minas

Anastasia critica Pimentel e defende legado de Aécio

Em encontro com mulheres, o candidato tucano acusou o petista de levar Minas Gerais à bancarrota


postado em 20/08/2018 11:43 / atualizado em 20/08/2018 11:50

(foto: Jair Amaral/EM)
(foto: Jair Amaral/EM)
O senador Antonio Anastasia (PSDB), candidato ao governo de Minas, criticou na manhã desta segunda-feira (20) o governador Fernando Pimentel (PT) e defendeu ligado do companheiro de legenda, Aécio Neves, no Palácio da Liberdade. O tucano se reuniu com representantes das mulheres, no Bairro Jardim Guanabara.  

Durante a agenda, Anastasia disse que a história deve ser lembrada sempre positivamente. "Sempre tive a oportunidade de trabalhar com ele (Aécio) e acho que, com uma grande equipe, fizemos muitas coisas juntos por Minas Gerais. As pessoas são testemunhas disso", afirmou. Ele lembrou ter sido secretário de Planejamento e vice de Aécio.

Questionado se a vinculação com o companheiro tucano, feita constantemente pelos adversários, seria prejudicial à sua campanha, Anastasia respondeu que "de forma alguma". Aécio responde acusações na operação Lava-Jato e desistiu de tentar a reeleição no Senado para disputar vaga na Câmara dos Deputados. 

Bancarrota

Ao falar para as mulheres sobre as dificuldades do Hospital Sofia Feldman, Anastasia disse que Pimentel levou o estado à bancarrota. Ele também chamou de "risível" a crítica de Pimentel, que vem dizendo que as gestões tucanas foram responsáveis por obras luxuosas e inúteis. O candidato tucano disse que o adversário petista enfrentará um protesto de prefeitos nesta terça-feira por atrasar verbas para os municípios.

"Amanhã vamos ter aqui em BH um movimento muito grande, teremos centenas de prefeitos do estado inteiro cobrando que o estado está de maneira ilegal se apropriando (de recursos) das prefeituras. Isso é gravíssimo e não sei se está colocado na LDO", disse. A lei de diretrizes orçamentárias sancionada por Pimentel no sábado prevê um rombo de R$ 5,6 bilhões para 2019.

Para Anastasia, esse déficit orçamentário pode ser muito maior. "Não conhecemos os números porque não tem transparência. O que se deve ao tribunal de Justiça? Quanto foi retirado de lá? Isso tudo vai ter que ser levando para colocar a casa em ordem."

Anastasia disse que seu plano de governo terá políticas especiais para as mulheres, especialmente em áreas como segurança e saúde, mas disse que elas serão beneficiadas com suas ações para recuperar as finanças do estado."Quando conseguir pagar no 5° dia útil, por exemplo, a maioria do magistério é de professoras", afirmou.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade