Publicidade

Estado de Minas

Em manifesto, integrantes do PSB rejeitam aliança com MDB em Minas

Parlamentares e pré-candidatos socialistas criticam união ao partido do presidente Michel Temer e do ex-deputado Eduardo Cunha


postado em 27/07/2018 18:49 / atualizado em 27/07/2018 19:48

(foto: Marcos Vieira/EM)
(foto: Marcos Vieira/EM)
Um manifesto assinado por mais de 40 militantes do PSB de Minas Gerais, entre eles dirigentes, parlamentares e candidatos da legenda, repudiou qualquer possibilidade de aliança com o MDB para a eleição ao governo de Minas Gerais. 


As conversas iniciadas na semana passada entre o pré-candidato do PSB ao Palácio da Liberdade, o ex-prefeito Marcio Lacerda, e integrantes da comissão provisória do MDB em Minas, sobre uma possível união das duas legendas, desagradou parte dos socialistas mineiros.

Lacerda e o deputado Saraiva Felipe, presidente da comissão provisória do MDB, descartam que a união das legendas esteja fechada e falam apenas em conversas de sondagens.

No manifesto, entre a direção nacional da legenda, os integrantes do PSB apontam a “discordância ampla e crescente do partido com a forma como a coordenação da campanha majoritária vem conduzindo as articulações políticas”.

“Nós, dirigentes estaduais, pré-candidatos e pré-candidatas, presidentes de seguimentos (Juventude, Mulheres, Sindical e Movimentos Populares) e parlamentares do PSB, subscrevemos essa carta aberta para manifestar, publicamente, que repudiamos coligações proporcionais com o MDB em Minas. Como explicar ao eleitorado a oposição feita pelo PSB ao governo Michel Temer nos últimos anos, e, agora, nos aliarmos a ele no plano estadual? É incoerente uma aliança com parlamentares que personificam a prática política que caracterizou e elegeu Eduardo Cunha (MDB) à presidência da Câmara”, diz o texto.

 

O presidente estadual do PSB João Marcos Lobo considerou legítima a manifestação dos correligionários, mas ressalta que a posição é minoritária e que o partido tem inteção de ouvir várias legendas para avaliar qual é mais interessante para alianças proporcionais.

"Vamos conversar e analisar na próxima semana as possíveis coligações. Acho legítimo que uma parte do partido se coloque dessa forma (contra o MDB), mas eles representam parte minoritária", afirma João Marcos Lobo.

Clique na imagem para ampliar(foto: Reprodução PSB)
Clique na imagem para ampliar (foto: Reprodução PSB)
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade