Publicidade

Estado de Minas

Escolha de novo líder de Pimentel aguarda acordo com MDB para eleições

Se a aliança para a reeleição vingar, o nome cotado é o do emedebista João Magalhães. A solução caseira seria indicar André Quintão (PT)


postado em 18/07/2018 13:05 / atualizado em 18/07/2018 14:40

Durval Ângelo defendeu que a vaga na Assembleia entre nas conversas sobre a reedição da dobradinha PT e MDB(foto: Guilherme Berganini / ALMG)
Durval Ângelo defendeu que a vaga na Assembleia entre nas conversas sobre a reedição da dobradinha PT e MDB (foto: Guilherme Berganini / ALMG)

O novo líder do governador Fernando Pimentel (PT) será escolhido nos próximos 10 ou 15 dias, de acordo com o atual ocupante do posto, deputado estadual Durval Ângelo, que defendeu nesta quarta-feira (18) que a escolha leve em conta o posicionamento do MDB em relação às eleições de outubro.

O petista vai deixar o cargo depois de ter o nome aprovado pelos pares da Assembleia para ocupar cargo vitalício no Tribunal de Contas do Estado (TCE).

A nomeação de fato ainda depende de ato do governador Fernando Pimentel (PT), que o indicou para a vaga que era da conselheira Adriane Andrade, que morreu em abril deste ano. Durval disse que, até que haja orientação em contrário, permanece na liderança de governo até o encerramento dos trabalhos na Assembleia, previsto para semana que vem.

Durval disse que Pimentel já definiu quem será seu sucessor, mas com uma condicionante. “Estamos esperando uma definição do MDB, há uma possibilidade concreta de acordo para as eleições e a indicação do líder pode até ser instrumento de negociação”, afirmou. O líder defendeu que seu posto entre nas conversas. “Hoje o foco todo é a reeleição do governador Fernando Pimentel, temos de usar todas as armas”, afirmou.

Nos bastidores, o nome do atual presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) João Magalhães seria a opção do MDB para se tornar líder de governo.

No PT e no MDB, no entanto, há quem defenda que o nome do atual líder do bloco governista André Quintão (PT) seria o natural para ocupar a vaga. Para o primeiro-secretário da Assembleia, deputado Rogério Correia, Quintão ficaria com a liderança de governo e o deputado estadual Sávio Souza Cruz poderia liderar o blocão do governo.

O líder do MDB e da Maioria, deputado Tadeu Martins Leite, afirmou que o MDB não está pedindo a vaga de liderança de governo, que também acredita ser naturalmente de André Quintão. “Até porque já temos a liderança da maioria. A princípio não conversamos sobre isso nem estamos reivindicando”, disse. Segundo ele, o partido defende candidatura própria e está iniciando as conversas para possíveis composições.

Com a intervenção nacional no MDB, que substituiu o vice-governador Antônio Andrade pelo deputado federal Saraiva Felipe no comando do partido, as conversas com Pimentel ficaram mais possíveis.

O líder do bloco governista, deputado André Quintão, disse que a escolha do líder é pessoal do governador e pode ser um nome do PT ou de outro partido. “Acho que ele deve levar em consideração quem tenha um bom trânsito dentro da base de governo e também com a oposição e o presidente da Assembleia, Adalclever Lopes (MDB). Quem escolher terá nosso apoio”, ressaltou.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade