Publicidade

Estado de Minas

Campanha de Meirelles atacará Ciro e Bolsonaro, apontados como machistas

A estratégia foi desenhada para expor fragilidades e polêmicas dos dois rivais de Meirelles, com o objetivo de mostrar os riscos de o eleitorado apostar naquilo que a campanha do MDB chama de 'aventura' nas eleições de outubro


postado em 28/06/2018 07:31 / atualizado em 28/06/2018 07:37

(foto: AFP / Miguel Schincariol)
(foto: AFP / Miguel Schincariol)

O pré-candidato do MDB à Presidência da República, Henrique Meirelles, decidiu adotar tom mais agressivo contra os adversários Jair Bolsonaro (PSL) e Ciro Gomes (PDT), na tentativa de conquistar principalmente o público feminino. Um vídeo da campanha de Meirelles, que será postado hoje nas redes sociais, exibe cenas de violência verbal de Bolsonaro contra mulheres, além do destempero retórico de Ciro.

A estratégia foi desenhada para expor fragilidades e polêmicas dos dois rivais de Meirelles, com o objetivo de mostrar os riscos de o eleitorado apostar naquilo que a campanha do MDB chama de “aventura” nas eleições de outubro.

O vídeo recupera um episódio de 2013, quando Bolsonaro xingou a deputada Maria do Rosário (PT-RS) de “vagabunda”, no Salão Verde da Câmara. Líder nas pesquisas de intenção de voto, o deputado é réu por incitação ao crime de estupro. Foi denunciado pelo MP por dizer à petista, em 2014, que ela não merecia ser estuprada porque era “muito feia”.

Em outra cena do filme, Bolsonaro aparece irritado em uma entrevista coletiva. “Você é uma idiota. Você é uma analfabeta”, diz ele a uma jornalista.

Ciro é apresentado como um político de temperamento explosivo. “O Lula é um merda”, afirma o pré-candidato do PDT na gravação, em referência ao ex-presidente, de quem foi ministro.

Com 1% das intenções de voto, Meirelles faz agora um movimento de ataque para se diferenciar na corrida eleitoral. No Planalto, auxiliares do presidente Michel Temer avaliam que o ex-titular da Fazenda precisa vestir o figurino de candidato, subir o tom e mostrar não ter medo do confronto.

Em conversas reservadas, dirigentes do MDB afirmam que Meirelles tem prazo até meados de julho para crescer. A candidatura do ex-chefe da equipe econômica ainda precisa passar pelo crivo da convenção do MDB, que ocorrerá no fim de julho ou início de agosto.

Pesquisas internas da campanha emedebista revelam que, a quatro meses da eleição, as mulheres são as mais indecisas sobre o voto e têm mais resistência a Bolsonaro. As sondagens também mostram que Ciro, muitas vezes, é associado à imagem de machista.

A equipe de Meirelles pretende explorar esses pontos dos adversários e, ao mesmo tempo, exibir o ex-ministro da Fazenda como um homem de diálogo e “experiência”. O vídeo faz questão de “humanizar” o pré-candidato do MDB, que aparece na companhia da família e de amigos.

“Este ano tem eleição para presidente. Em qual tempo está o candidato em que você está pensando em votar?”, pergunta um locutor em off, no filme que traz a hashtag #ChamaOMeirelles. Em seguida surgem outras indagações, entremeadas por cenas constrangedoras para Bolsonaro e para Ciro. “No tempo do preconceito? No tempo de quem acha que ainda se ganha no grito?”, provoca o narrador.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade