Publicidade

Estado de Minas

Discordância entre prefeituras e governo de Minas suspende obras em rodovia

As obras na rodovia que liga a MG-10 a Sete Lagoas estão previstas em processo licitatório para concessão por 30 anos da MG-424


postado em 06/06/2018 10:01 / atualizado em 06/06/2018 11:18

Prefeitos do Vetor Norte e integrantes do movimento Todos contra o Pedágio na MG-424(foto: Divulgação/ Prefeitura de Pedro Leopoldo)
Prefeitos do Vetor Norte e integrantes do movimento Todos contra o Pedágio na MG-424 (foto: Divulgação/ Prefeitura de Pedro Leopoldo)

Mais um round na queda de braço entre o governo de Minas e prefeituras no entorno da MG-424, que liga a MG-10 a Sete Lagoas, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, suspende processo licitatório para realização de obras na rodovia. A interdição tem caráter liminar  e foi dada pela Comarca de Pedro Leopoldo e pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE). O governo informou que vai recorrer da decisão.

A discordância entre governo e prefeituras envolve a fixação do preço de pedágio a ser cobrado pela empresa ganhadora da licitação, que resultará na concessão dos 51,08 quilômetros da rodovia.  De acordo com edital de licitação, serão instalados duas praças de pedágio na MG-424, uma em São José da Lapa e outra em Prudente de Morais.

"O que foi colocado é extremamente oneroso para os usuários e altamente vantajoso para o estado porque é uma medida altamente arrecadatória. O fato de se optar pela maior outorga, e não menor tarifa, é extremamente injusto para quem paga o pedágio",  diz trecho da ação civil pública assinadas pelas prefeituras de Pedro Leopoldo, Confins e São José da Lapa.

Sem saída


O governo de Minas alega que não há outra saída para MG-424, que, de acordo com dados oficiais, é um dos  quinze trechos de rodovias estaduais com maior número de acidentes por ano.

O governo justifica a escassez de recursos - que tem um déficit previsto para este ano de R$ 8,18 bilhões- e a extensa malha rodiviária do estado de quase 20 mil quilômetros.

Diante desse quadro, a Secretaria de Transportes e Obras Públicas (Setop) comanda o processo licitatório para concessão da MG-424 por 30 anos, envolvendo investimento de R$ 1,068 bilhão na rodovia e também a construção dos contornos de Matozinhos e Prudente de Morais.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade